https://www.poetris.com/
Poemas : 

Ridículo q.b.

 
Ridículo q.b.
 





Há música na palavra dita...



Há música nas palavras ditas,
Não ouso cantar
Em publico, sinto-me ridículo
Quando dou por isso,

Estou a cantar alto sozinho,
pois que o hábito não faz
O monge e eu canto como maldito
Da rua, embora não seja cego,

Sou louco quanto a loucura
Que me habita por dentro,
Sendo esse o meu desatino,
Quando dou por mim sozinho,

Cantando baixo, baixinho.
Sou ridículo, sinto-me músico,
Sem ser nem isso, q,b.
Um sem ofício, fulano tal,

Maldigo o ruído que faço,
P'los cantos da boca sujos,
Como se não bastasse sab'a gemada,
A língua batendo constante,

Nos dentes fingindo ser harpa.
Trinta destinos tive à escolha,
Nenhum de ser poeta, quanto
Menos músico eu, etc, etc, etc ...









Jorge Santos 08/2018
http://namastibetpoems.blogspot.com








Jorge Santos (Namastibet)

 
Autor
Jorge-Santos
 
Texto
Data
Leituras
89
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
21 pontos
1
2
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
sendoluzmaior
Publicado: 10/08/2018 14:45  Atualizado: 10/08/2018 14:46
Subscritor
Usuário desde: 01/05/2012
Localidade:
Mensagens: 4224
 Re: Ridículo q.b.