https://www.poetris.com/
Poemas -> Dedicatória : 

"O Apátrida,"

 
 

"Faço o que todo homem faz. Não o seria se fizesse mais."

(Macbeth)











Mero anfíbio de águas escuras e lodosas
Que usa farda rota, tem o andar dos traidores
Espécime que se curva abaixo de valores
Enfiou o acordo ortográfico perto da próstata

Imundo covarde que só cospe e se assopra
De dizeres vendidos a quilos da vaidade crua
Pensa que é infame quando é só puta de rua
Toda ela, desossada, afilhada d’outras poças

E eu poderia rimar à sua hereditária posição
Açoita-lo de patas nuas e vê-lo a se escorrer
E, de quê valem rimas assim, para um anão?

Saco de nada que vende a sua própria pátria
De dedos postiços, de um maldito de se ver?
Ah, seu lixo renomado! A panela, é sua sátira!







..a sua mesma e barateada, (re)inserção
!






Inédito!
 
Autor
Azke
Autor
 
Texto
Data
Leituras
69
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
0
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.