https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Cego debruçado em via-estreita

 
Cego debruçado em via-estreita
 










Há palavras de vulgar despojo,
Pois porque o normal é dar, logo
Eu me dou, de mim próprio, tal
Como choro ou respiro e me redimo,

Mortal despojo, nome de guerra, nojo,
Guerreiro de latão, charlatão, só de incerteza
Tenho pose chaves e certidão; desejo é
Bom-porto, Porto-bom tem Zenão,

O silêncio é absurdo e o meu espírito
Paira longe ao longo, pois já não é só o pensar
Que me foge, eu que fujo de me pensar
Morto e mudo, cego debruçado em via-estreita,

Consciente da derrota, fama é lama e o facto
De ser dissemelhante a algum outro
Espécime de peixe-monge, faringe desfeita
E traqueia, difíceis de engolir, de pesar,

Há palavras de vulgar despojo, nojo
Porém me dá a fala sem emoção, "fio-prumo",
Por isso choro, quando respiro
De fora para dentro...e me dou,

Cego debruçado em via-estreita e oblonga,
Vivo metaforicamente falando pra fora
E me queixo não por intenção mas por despeito,
Cedo por entre a prega do beiço, essa sim,

Autêntica, sábia, cega e verdadeira.







Jorge Santos 01/2019
http://namastibetpoems.blogspot.com













 
Autor
Jorge-Santos
 
Texto
Data
Leituras
400
Favoritos
4
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
57 pontos
13
6
4
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Jorge-Santos
Publicado: 12/01/2019 21:21  Atualizado: 13/01/2019 09:16
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade:
Mensagens: 1751
 O zurro mudo








Tenho pena de não ser burro,
Não sofreria de dislexias e síndromes,
Não teria problemas de dicção,
Afasia, a gramática e a aritmética
resumiriam-se num zurro de Ipiranga

Tenho pena de não ser burro
Sou eterno, terreno e apenas um asno
Pequeno, minúsculo, mudo zurro










Enviado por Tópico
Namas-tibet
Publicado: 13/01/2019 10:44  Atualizado: 13/01/2019 11:30
Colaborador
Usuário desde: 17/07/2018
Localidade:
Mensagens: 657
 Re: Cego debruçado em via-estreita
Open in new window

Enviado por Tópico
Joel-Matos
Publicado: 14/01/2019 11:05  Atualizado: 14/01/2019 11:08
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade:
Mensagens: 1786
 Poucos sabem interpretar, raros sabem ler ...
Open in new window

Enviado por Tópico
Jorge-Santos
Publicado: 16/01/2019 21:07  Atualizado: 28/03/2019 11:42
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade:
Mensagens: 1751
 Re: Cego debruçado em via-estreita
Open in new window

Enviado por Tópico
Eureka
Publicado: 28/01/2019 14:04  Atualizado: 28/01/2019 14:04
Colaborador
Usuário desde: 02/10/2011
Localidade: Lisboa
Mensagens: 4169
 Re: Cego debruçado em via-estreita P/Jorge Santos
Olá Jorge,

Quanta saudade eu já tinha de vir ler as partilhas aqui no Luso. Em particular, os teus versos sempre num registo metafórico, em que os teus bons versos ganham asas ao significado a reter por entre a qualidade da escrita versada numa inspiração sempre presente.

Gostei muito do poema. Parabéns

Beijinhos
Maria



Enviado por Tópico
Migueljaco
Publicado: 13/02/2019 13:02  Atualizado: 13/02/2019 13:02
Colaborador
Usuário desde: 23/06/2011
Localidade: Taubaté SP
Mensagens: 9215
 Re: Cego debruçado em via-estreita
Bom dia Jorge-Santos, parabéns pelos vossos instigantes versos, MJ.


Enviado por Tópico
JoeWeirdo
Publicado: 28/02/2019 17:15  Atualizado: 28/02/2019 17:15
Da casa!
Usuário desde: 11/03/2010
Localidade:
Mensagens: 433
 Re: Cego debruçado em via-estreita
Belo texto, Jorge!


Enviado por Tópico
RaipoetaLonato2010
Publicado: 18/03/2019 17:42  Atualizado: 18/03/2019 17:42
Colaborador
Usuário desde: 13/03/2010
Localidade: Paulínia-SP
Mensagens: 2645
 Re: Cego debruçado em via-estreita
"Vivo metaforicamente falando pra fora".

Gostei desse verso por nos leva a pensar no silêncio espiritual.
São tantas palavras! Saímos de nós.