https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

do ente

 
Ninguém fala da seca
enquanto chove.

Mas,
ouvi dizer
que queres calor quando está quente
e que no gelo suspiras por mais frio.

Na luta incessante com o que anseias,
quando feres de morte o inimigo
nunca te dás por contente.

Ouvi-te dizeres
que sentes falta do que tens.

E, nessa saudade demente
do que tens aos pés e nas mãos,
cresce uma fome pura, perene…

Sem cura.


A minha pátria é a língua portuguesa.
Bernardo Soares

Saibam que agradeço todos os comentários, de coração...
Por regra não respondo.



 
Autor
Rogério Beça
 
Texto
Data
Leituras
421
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
22 pontos
2
2
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Namas-tibet
Publicado: 11/02/2019 21:46  Atualizado: 14/02/2019 12:42
Colaborador
Usuário desde: 17/07/2018
Localidade:
Mensagens: 649
 Re: Do-entre




Quando chove lá fora, evoco a toada simétrica das gotas nos olhos e eis que faço fotografia enquanto as descrevo mililitro a mililitro cá dentro, quando chove cá fora estou mais lá dentro...