https://www.poetris.com/
Poemas -> Dedicatória : 

"Galo de briga"

 
Tags:  Caldo de panela  
 


"...porque a roupa revela o homem...."

(Hamlet) Cena III, Ato I










Tem aquela mão torta, a que tira do próprio cu
De jogadas pacíficas, mentiroso covarde e cru
Não sabe debater, pois é néscio e tão curvado
Fosse homem, e não se colocaria tão de lado

Mas é filho de putas, esse já castrado animal
e lambe bundas, não sabe o quê fazer com o pau
Talvez ele goste, afinal é defensor das minorias
Ou é pedinte de letras que se fingem à calmaria

Ora, se não detém margem à polidez de amostra?
Ora, se um belo chute no rabo não lhe traz de volta?
Talvez só queira depositar as suas merdas ruins

Seus bilhetes cansados e acovardados, chinfrins?
Ele morreu(quem sabe?) e retorna p'ra apanhar
Logo, é ainda “poeteiro” arisco que faz ré p'ra andar,






Filho da puta!





Inédito!!
 
Autor
Azke
Autor
 
Texto
Data
Leituras
159
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
5 pontos
1
2
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Azke
Publicado: 12/01/2019 19:00  Atualizado: 12/01/2019 19:00
Colaborador
Usuário desde: 05/11/2015
Localidade:
Mensagens: 1987
 Re: "Galo de briga"
Cadê, cadê?
Já se foi?!?