https://www.poetris.com/
Poemas -> Reflexão : 

SOMBRA

 
 
Aquilo já-dito marca a casca do instante.
Funda sulcos. Leitos para raios de sol
por toda carne extinta. A memória
em seu ritmo frenético: retorno,
mesmo esmaecido, espasmo.
Retorno, garganta cortada, aparição.
Lázaro caminhado mares de sangue.
Bavcar moldando trevas à pancada.
Tormenta em certezas enfermiças.

– mesmo morto a poesia
há de me dar alguma
espessura.


Lucas Luiz nasceu em Guararema, em 1991.
Continua em pé, embora carregue a sequela
da invisibilidade.  Nunca ganhou medalhas
ou qualquer prêmio. Iniciou publicando
crônicas no “Jornal D’Guararema” e depois
poemas no site de variedades “Guararema T...

 
Autor
LuscaLuiz
Autor
 
Texto
Data
Leituras
53
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Joel-Matos
Publicado: 12/02/2019 11:36  Atualizado: 14/02/2019 12:22
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade: Setúbal, Portugal, Azeitão
Mensagens: 1574
 Re: SOMBRA


















A ignomínia maior de falar com a sombra é ainda pior se esta for interior a nós mesmos






J.S.