https://www.poetris.com/
Textos : 

A brincadeira de Brahma

 
Open in new window




Quando a cortina abre vemos dezessete jovens com vestes simples e marrons. Eles parecem saudáveis e um deles é um pouco alto. Eles são filhos dos fazendeiros mais importantes da região. Um rapaz muito bonito e magnético aparece. É Krishna e os rapazes sorriem e olham um para o outro alegremente. Krishna está vestido como as pinturas mostram seu estilo.


Krishna- Meus bons rapazes estão prontos para ir ao lago? É sempre agradável conversar na frente do lago de Vrndavana que é alimentado pelas água do rio Ganges.

Um rapaz- Nosso amado Krishna estamos sempre prontos para estar na sua presença.

Krishna- Meu prazer é estar com todos. Vocês são parte de minha família. Meus brilhantes companheiros, na sua presença sinto-me como se estivesse diante do deus Ganesha.
Como poderia ficar mais contente?

Outro rapaz- Nosso brilhante e gracioso Krishna, nós todos nos sentimos como se você habitasse os nossos corações.

Krishna( sorrindo)- Fiquem aqui. Voltarei logo. ( Sai).


A cortina fecha e abre rapidamente. Todos os dezessete rapazes saíram. Um velho, cabelos prateados, alto e nu da cintura pracima está sentado em uma cadeira dourada. Ele é Brahma( Criador do Universo).



Brahma- preciso provar esse jovem, Krishna, as pessoas estão sempre dizendo que ele realiza milagres. Ele é apenas um menino. Ele não pode ser tão poderoso como Indra ou eu. Vou provar que não há ninguém como eu.



Krishna entra e percebe toda a brincadeira de Brahma. Ele apenas sorri e os dezessete rapazes reaparecem.

Krishna- Vocês estão muito bem, meus companheiros. Vamos conversar e tocarei música para todos. ( Eles saem).


Brahma vê o que Krishna fez. Ele fica assustado. Levanta-se e seu torna fica pálido.


Brahma- Como esse jovem fez isso? Fiz todos os dezessete jovens sumirem. É impossível quebrar meus poderes mágicos. Sou o criador de todas as coisas e seres vivos no Universo! Oh Mãe Lakshmi, oh Kali,o que está acontecendo?
Somos todos escravos da ilusão e karma. Hoje eu ofendi o Senhor Supremo. Preciso consertar isso.( Ele sai).


Krishna está sentado com seus amigos. Eles conversam animadamente e tomam água. Krishna se levanta.



Krishna- Fiquem aqui, meus amigos. Voltarei em um curto espaço de tempo.


Brahma entra no segundo plano. Krishna se senta no chão.


Brahma( cai aos pés de Krishna)- Oh meu Senhor Supremo! Ó Govinda! Perdoe-me, perdoe-me por minha estupidez. Você é Tudo. O Universo está em Sua cabeça e boca.
O som omkara saiu de Sua boca divina. Como pude ser tão estúpido em provar o Senhor Supremo? Perdoe-me Mestre. Perdoe-me. Mesmo a Sua ilusão atrai os santos e místicos yogis. Devemos nos fixar em Seus pés de lótus.

Krishna( pacífico)- Brahma, você foi criado por meu poder. Você gastou cem yugas apenas para conhecer minha forma pessoal. Você pensou hoje pela forma da ilusão que sai da minha pessoa. Tudo é meu e ninguém pode dizer que é dono dos filhos, vacas, bois e leite. Acalme-se e continue orando e pensando nos meus pés de lótus.

Brahma- Nunca vou me esquecer o que fiz hoje, Govinda. Abençoe minha mente e que eu possa clamar todo o tempo pensando nos Seus pés de lótus. Eu nunca vou parar de pensar sobre as Suas supremas habilidades. Você é o Supremo e somos todos seus servos.


Brahma se levanta e sai com a cabeça abaixada. Krishna pega sua flauta. Ele sai tocando-a.

 
Autor
lud
Autor
 
Texto
Data
Leituras
35
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.