https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

À excelência !

 
À excelência !
 












À excepção, À excelência, À beleza, sim
Brindemos, ainda que com vinho turvo
Desse amanhado com pés maçados e sujos
Em paióis de madeira e grés, brindemos

À excepção, À excelência, À beleza da tez
Ao dois por três em copos cheios desde
A vindima até aos cestos das vespas riscadas
Do melaço e "ladainha-de-taberna-à-vez",

Aos bêbados, brindemos com vinho turvo
E pão de milho duro, ouro e basalto gretado,
Preto e giz do taberneiro pouco sóbrio ardosia
Na mão Brindemos irmão, brindemos irmãos,

À excepção, À excelência, À beleza, sim
Às escaras e ao vício de sermos unos, unidos
Até na morte, nos trabalhos de ciclopes
Do amanho da Terra que nos recebeu, hóspedes

Hostis de coração grande.





Joel Matos 02/2019
http://joel-matos.blogspot.com




Convivência entre espécies

Bem sei que poeta é um ser genericamente alterado e sujeito a súbitas mudanças de opinião e humor, podemos ser controversos e libertários libertinos brilhantes mas jamais um poeta é ou pode ser sinónimo de tacanhez e desmérito intelectual, jamais poeta algum ou a sua poesia poderá ser sinónimo de conservadorismo maléfico, moléstia e maldade intrínseca.
Somos, sejamos arautos graduados da sã convivência entre espécies, pois mesmo os menos dotados possuem alguma elevada clarividência e uma luminosidade activa que nos enriquece e subsidia pondo de parte pensamentos e expressões de obscuridade ridícula que tanto imiscuem a nossa criatividade e clarividência humana representativa levando À esterilidade inata e inadaptalizável de pensamento…


Jorge Santos/Joel matos

 
Autor
Joel-Matos
 
Texto
Data
Leituras
333
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
38 pontos
18
2
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Namas-tibet
Publicado: 26/02/2019 12:02  Atualizado: 26/02/2019 17:37
Colaborador
Usuário desde: 17/07/2018
Localidade:
Mensagens: 777
 Re: À excelência !




Convivência entre espécies

Bem sei que poeta é um ser genericamente alterado e sujeito a súbitas mudanças de opinião e humor, podemos ser controversos e libertários libertinos brilhantes mas jamais um poeta é ou pode ser sinónimo de tacanhez e desmérito intelectual, jamais poeta algum poderá ser sinónimo de conservadorismo maléfico, moléstia e maldade.
Somos, sejamos arautos graduados da sã convivência entre espécies, pois mesmo os menos dotados possuem alguma elevada clarividência e uma luminosidade activa que nos enriquece e subsidia pondo de parte pensamentos e expressões de obscuridade ridícula que tanto imiscuem a nossa criatividade e clarividência humana representativa levando À esterilidade inata e inadaptalizável de pensamento…


Jorge Santos/Joel matos






Enviado por Tópico
sendoluzmaior
Publicado: 28/02/2019 16:45  Atualizado: 28/02/2019 16:45
Subscritor
Usuário desde: 01/05/2012
Localidade:
Mensagens: 4524
 Re: À excelência !
Reveja sUAS ATITUDES DE SPAM NO SITE E NÃO ME AMEACE.

Leia mais: https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=338582 © Luso-Poemas

Enviado por Tópico
Jorge-Santos
Publicado: 28/02/2019 16:48  Atualizado: 28/02/2019 17:09
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade:
Mensagens: 1791
Online!
 Re: À excelência !
Open in new window
Open in new window



Enviado por Tópico
sendoluzmaior
Publicado: 01/03/2019 11:48  Atualizado: 01/03/2019 11:48
Subscritor
Usuário desde: 01/05/2012
Localidade:
Mensagens: 4524
 Re: À excelência !
Um texto só pode ser publicado por um perfil.










Enviado por Tópico
Srimilton
Publicado: 03/03/2019 13:59  Atualizado: 03/03/2019 13:59
Colaborador
Usuário desde: 15/02/2013
Localidade: Nenhuma
Mensagens: 1837
 Re: À excelência !
Cara, sem delongas, Vc deu um salto e tanto!
Também gostei do texto logo abaixo.

Abraços

Enviado por Tópico
RoqueSilveira
Publicado: 03/03/2019 14:34  Atualizado: 03/03/2019 14:34
Colaborador
Usuário desde: 31/03/2008
Localidade: Braga
Mensagens: 8205
 Re: À excelência !
é um prazer ler teus textos e poemas, uma mais valia no luso que pouco te merece. há quem não se toque na sua insensatez, ignorância, esterilidade literária e pretenda mandar naquilo para o qual não tem a menor vocação. um brinde a ti e à tua veia humanitária!