https://www.poetris.com/
 
Textos : 

Da Energia no ser

 
Tags:  ser    energia  
 
Da Energia no ser

A energia dominante em um ser é fruto do pensamento nele reinante durante 24 horas, uma semana, um mês, um ano e até a vida toda. É dito que a energia segue o pensamento. O pensamento torna-se o foco de vida de uma pessoa e por consequência direta viverá as experiências requeridas magneticamente. A lei da atração magnética dita que os iguais se atraem. Ou seja, ao longo da nossa jornada na terra vivemos e colhemos, aliás somos obrigados a colher e comer os frutos da nossa própria energia. Quando nos aproximamos de pessoas que irradiam energias melhores que a nossa, na verdade estamos desfrutando daquela energia naquele momento raro e de rica oportunidade. Aquele ser, aquela energia nos partilha mudanças tão necessárias a nossa existência. Um ladrão, um psicopata, um assassino partilha com o ambiente e pessoas aquilo que ele é, assim quanto mais intimo for de um ser assim pior para a pessoa em contato com ele. Essa questão do contato e intimidade é tão importante que daremos uma atenção em especial.
Quando era adolescente lia a mão das pessoas. Com um simples toque já sabia tudo que precisava sobre a pessoa diante mim. Certa ocasião em meio a amigos chegados, uma moça aproximou-se de mim e pediu-me que lesse a mão dela, ao segurar sua mão disse-lhe: Você quer muito casar, mas não vai. Na mesma hora meus amigos a levaram embora e passaram a recriminar-me, pois o grande sonho dela era esse. Este episódio foi definitivo para que tomasse mais cuidado no tocante ao que a energia de um ser me transmite, já decorreram trinta e cinco anos, ela teve namorados, uma filha, mas nunca se casou. O que de fato quero dizer é que, se um simples toque pode trazer uma troca de energia “absurdamente grande”, dirá uma relação sexual. Na relação sexual, verdadeiramente a pessoa se tornará um só corpo, uma só carne. A troca de energia é tão intensa, que a penetração vai muito além do físico, inebriando a alma e a depender da energia recebida, experimentar verdadeiramente tanto céu, quanto o mais terrível dos “quintos dos infernos”. E vou mais longe, a energia de um único coito, leva seis meses para “sair”. A depender da frequência a pessoa passa a nem sentir mais “ela mesma”, ou seja, a própria alma. Uma pessoa perguntou-me por que as pessoas andam tão afastadas do espírito, respondo: Porque se disseminou tão fortemente o culto a sexualidade, banalizando o ato sexual, que as pessoas perderam a capacidade de serem elas mesmas. Assim um homem infiel que saia com prostitutas, que recebe enormes quantidades de energias diferentes, passará para ele tudo isso e o mesmo para sua esposa ou parceira. O mesmo vale para a mulher que tenha vários parceiros. Nesta mistura infernal de energias, as pessoas estarão mais perdidas do que cego em tiroteio. São pessoas drogadas por todo tipo de energia que receberam. Isso se sabe desde a antiguidade, quando a sexualidade sobe a espiritualidade cai. Antigamente diziam: Sexo só para procriação, mas o homem o faz por prazer e com inúmeros parceiros. Privados dos deleites celestiais os homens se prostituíram vivenciando hoje, quase nada do que são. Neste sentido de energia a camisinha não protege absolutamente nada. E como tudo é sujeito a diversas interpretações,digo: Não estou falando mal de nada, apenas conscientizando: Sexo exige muita responsabilidade, não apenas consigo mesmo, mas principalmente com o outro. Este tipo de responsabilidade, isso sim é amor. Assim, quando nos propomos a ajudar um ser em sua mudança de vida é de suma importância conhecer detalhes de sua vida. É como um médico, quanto mais profundamente ele conhecer o paciente, mais ele poderá ajudar verdadeiramente. Tentar esconder algo dele é a mesma coisa de dar um tiro no próprio pé.
A nossa energia, aquilo que de fato exalamos para o universo é fruto de tudo aquilo que somos dentro de nós mesmos, agregados a aquilo que conscientemente ou não permitimos que penetrasse em nós. A vida nos cobra responsabilidade por aquilo que exalamos através dos nossos corpos, físico, emocional e mental. Sim, cada aspecto nosso exala um cheiro, não só físico pela transpiração e gases. Um fumante exala nicotina pelo suor enquanto destrói seus pulmões, do ponto de vista real é um suicida. No plano emocional tornou-se dependente de algo que lentamente o destrói e não consegue largar, exala odores pestilentos de suicida e dependência. No plano mental já é muito mais complicado, pois criamos coisas que se aglutinam a emanações semelhantes e as materializamos no plano físico. Inúmeras pragas, bactérias e vírus foram criadas por emanações mentais das quais tentamos criar medicamentos para exterminá-las. Assim, a questão da energia que criamos em nós mesmos a partir de absolutamente tudo é um assunto por demais longo e exaustivo. As baratas que surgiram no mundo a partir das criações mentais de nós humanos, tem uma população 500 vezes maior que toda a humanidade. Elas podem viver uma semana sem água, um mês sem comer e semanas sem a própria cabeça. Nossas criações mentais criaram e criam todos os dias monstros muito mais poderosos que o nocivo ser humanos. Assim, cuidar da própria energia e emanações é antes de tudo um ato de puro amor.


Meu objetivo na vida
É trazer luz lá do fundo
Assim na partida
Já conhecerei além-mundo




 
Autor
sendoluzmaior
 
Texto
Data
Leituras
661
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
16 pontos
4
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
IsabelRFonseca
Publicado: 24/03/2019 11:36  Atualizado: 24/03/2019 11:36
Colaborador
Usuário desde: 25/05/2013
Localidade: Algures em Portugal
Mensagens: 2688
 Re: Da Energia no ser


Excelente reflexão


Fidelidade a cima de tudo
Só assim o amor floresce
mesmo em cima de espinhos

Parabéns poeta sendoluzmaior

Um abraço


Enviado por Tópico
Namas-tibet
Publicado: 04/04/2019 17:15  Atualizado: 04/04/2019 17:21
Colaborador
Usuário desde: 17/07/2018
Localidade:
Mensagens: 658
 Que saudades do Bozão "de Higgs"



Tópico sendoluzmaior
Publicado: 04/04/2019 00:18 Atualizado: 04/04/2019 00:18
Subscritor


Usuário desde: 01/05/2012
Localidade:
Mensagens: 4485
Re: Aprendizado
Namas-tibet

Colaborador

"Te loquor absentem"

Invoco e maldigo aqui a tua nefasta presença ...

Seu Ogre genérico, prático e incapaz, penso e sinto que deves estar grunhindo o nome do teu apocalíptico maioral e capataz, Askerozo-manko, in-género "tuo" e germinado na porca gamela do Apocalipse e "duelo" se faz entre cavalheiros da mesma estripe, de ambos os géneros, mas de uma mesma genealogia (não é apenas semântica oral nem canto gutural de símio) e não, jamais com um Suíno de Chiqueiro que nem somar 4x4, nem dar pelo erro consegue, no ábaco do Tamerlão Árabe na cidade de Samardã, que nem sabes onde, fica num mapa.
Não se toca a quatro mãos nem em dueto o "Excelsus suber" de Brahms , embora seja um "Ensamble", jamais será a quatro patas e "piano magníssimi" é o meu mote excelso, de modo que te excomungo da minha privacidade silente, monogenética e monogâmica, não privo com seres da tua parca espécie, do teu género e o BramaPutra é na Índia, Brama não é apenas cerveja mas uma estripe de galináceo puro e a ilha do teu desconhecimento é "Phuket", porque é "Phuket"(?).
"Te loquor absentem" invoco a tua ausência e te maldigo, abstém-te, volta para a pocilga no Bósforo, onde procrias invalidez e peçonha, ainda peço por obséquio embora esteja ordenando, como faz um general à grotesca soldadesca menor, rastejando em trincheiras de lama e nas latrinas infectas, junta-te imediatamente ao teu guardador Lex...ah e lembra-te de tudo isto porque bem pior ainda irá acontecer-te não só física e moralmente, de cada vez que me convocares à inutilidade e futilidade bufa balofa inorgânica/patética de que fazes parte, naufragarás na peste uma e outra e outra vez quando pensares em mim, por isso não penses nem pretendas - seu incapaz, de invocar o meu nome em vão nem agora nem jamais...me deixa "emquella pace cui" , camaleão de batina, barata de sacristia , me deixa ou....Te loquor absentem,


Te loquor absentem
Te loquor absentem, te vox mea nominat unam;
nulla venit sine te nox mihi, nulla dies.
Quin etiam sic me dicunt aliena locutum,
ut foret amenti nomen in ore tuum.

Ovidi Nasonis, in Tristium Liber Tertius

"Werde der du bist."

Goethe

Criado em: 31/3 21:10
_________________
Meu objetivo na vida
É trazer luz lá do fundo
Assim na partida
Já conhecerei além-mundo


Transferir o post para outras aplicações Transferir
Editar Excluir Responder Topo


sendoluzmaior

Re: Mais um caído em campo de batalha

#3
Subscritor
Membro desde:
1/5/2012 14:42
Mensagens: 4482

Mais um infeliz caído em campo de batalha cuja massa putrefeita será digerida pela terra.

Criado em: 31/3 21:11
_________________
Meu objetivo na vida
É trazer luz lá do fundo
Assim na partida
Já conhecerei além-mundo


Transferir o post para outras aplicações Transferir
Editar Excluir Responder Topo



Re: Mais um caído em campo de batalha

#5
sem nome

pois é, né Sidney?

cadê agora o trabisdementia e sua guarda helendasrosas para finalizar o perfil desse verme covarde e imbecil que usa vários perfis para auto-comentar-se, para atacar outros perfis e ainda mandar pms com ameaças reais aos usuários daqui?
quando é o papai aqui, a lei do luso é rápida e fugaz, mas quando em caráter de agir contra lixos iguais a esses, simplesmente, desaparecem e enfiam a cabeça sob a terra(pra não dizer outra coisa).
dois pesos, meias medidas.


Criado em: 1/4 10:54
Transferir o post para outras aplicações Transferir
Responder Topo


sendoluzmaior

Re: Mais um caído em campo de batalha

#7
Subscritor
Membro desde:
1/5/2012 14:42
Mensagens: 4482

Pois é amigo, aquele verme esta ligado a outros comendo a carne putrefata do defunto Luso- Poemas.


Leia mais: https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=342994 © Luso-Poemas

Tópico sendoluzmaior
Publicado: 04/04/2019 00:18 Atualizado: 04/04/2019 00:18
Subscritor


Usuário desde: 01/05/2012
Localidade:
Mensagens: 4485
Re: Aprendizado
Namas-tibet

Colaborador

"Te loquor absentem"

Invoco e maldigo aqui a tua nefasta presença ...

Seu Ogre genérico, prático e incapaz, penso e sinto que deves estar grunhindo o nome do teu apocalíptico maioral e capataz, Askerozo-manko, in-género "tuo" e germinado na porca gamela do Apocalipse e "duelo" se faz entre cavalheiros da mesma estripe, de ambos os géneros, mas de uma mesma genealogia (não é apenas semântica oral nem canto gutural de símio) e não, jamais com um Suíno de Chiqueiro que nem somar 4x4, nem dar pelo erro consegue, no ábaco do Tamerlão Árabe na cidade de Samardã, que nem sabes onde, fica num mapa.
Não se toca a quatro mãos nem em dueto o "Excelsus suber" de Brahms , embora seja um "Ensamble", jamais será a quatro patas e "piano magníssimi" é o meu mote excelso, de modo que te excomungo da minha privacidade silente, monogenética e monogâmica, não privo com seres da tua parca espécie, do teu género e o BramaPutra é na Índia, Brama não é apenas cerveja mas uma estripe de galináceo puro e a ilha do teu desconhecimento é "Phuket", porque é "Phuket"(?).
"Te loquor absentem" invoco a tua ausência e te maldigo, abstém-te, volta para a pocilga no Bósforo, onde procrias invalidez e peçonha, ainda peço por obséquio embora esteja ordenando, como faz um general à grotesca soldadesca menor, rastejando em trincheiras de lama e nas latrinas infectas, junta-te imediatamente ao teu guardador Lex...ah e lembra-te de tudo isto porque bem pior ainda irá acontecer-te não só física e moralmente, de cada vez que me convocares à inutilidade e futilidade bufa balofa inorgânica/patética de que fazes parte, naufragarás na peste uma e outra e outra vez quando pensares em mim, por isso não penses nem pretendas - seu incapaz, de invocar o meu nome em vão nem agora nem jamais...me deixa "emquella pace cui" , camaleão de batina, barata de sacristia , me deixa ou....Te loquor absentem,


Te loquor absentem
Te loquor absentem, te vox mea nominat unam;
nulla venit sine te nox mihi, nulla dies.
Quin etiam sic me dicunt aliena locutum,
ut foret amenti nomen in ore tuum.

Ovidi Nasonis, in Tristium Liber Tertius

"Werde der du bist."

Goethe

Criado em: 31/3 21:10
_________________
Meu objetivo na vida
É trazer luz lá do fundo
Assim na partida
Já conhecerei além-mundo


Transferir o post para outras aplicações Transferir
Editar Excluir Responder Topo


sendoluzmaior

Re: Mais um caído em campo de batalha

#3
Subscritor
Membro desde:
1/5/2012 14:42
Mensagens: 4482

Mais um infeliz caído em campo de batalha cuja massa putrefeita será digerida pela terra.

Criado em: 31/3 21:11
_________________
Meu objetivo na vida
É trazer luz lá do fundo
Assim na partida
Já conhecerei além-mundo


Transferir o post para outras aplicações Transferir
Editar Excluir Responder Topo



Re: Mais um caído em campo de batalha

#5
sem nome

pois é, né Sidney?

cadê agora o trabisdementia e sua guarda helendasrosas para finalizar o perfil desse verme covarde e imbecil que usa vários perfis para auto-comentar-se, para atacar outros perfis e ainda mandar pms com ameaças reais aos usuários daqui?
quando é o papai aqui, a lei do luso é rápida e fugaz, mas quando em caráter de agir contra lixos iguais a esses, simplesmente, desaparecem e enfiam a cabeça sob a terra(pra não dizer outra coisa).
dois pesos, meias medidas.


Criado em: 1/4 10:54
Transferir o post para outras aplicações Transferir
Responder Topo


sendoluzmaior

Re: Mais um caído em campo de batalha

#7
Subscritor
Membro desde:
1/5/2012 14:42
Mensagens: 4482

Pois é amigo, aquele verme esta ligado a outros comendo a carne putrefata do defunto Luso- Poemas.


Leia mais: https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=342994 © Luso-PoemasOpen in new window
Open in new window

Enviado por Tópico
Namas-tibet
Publicado: 05/04/2019 19:56  Atualizado: 05/04/2019 19:56
Colaborador
Usuário desde: 17/07/2018
Localidade:
Mensagens: 658
 Re: Da Energia no sobrenatural
Open in new window