https://www.poetris.com/
Poemas -> Introspecção : 

Crença vazia

 
Tags:  vida    poemas    introspeção  
 
se nas vezes dos pés,
minhas fossem as mãos do queixume,
não deixaria rasto no teu querer,
nem frases no teu silêncio,...


alumiadas no pretérito do escrito
na noite,
ficavam as lousas,
desnortes ao meio do que foram
as escolas,
as lições,
toda a vulgar manutenção da vida em minguante,...

e por fim se quiséssemos a marca
excelsa do que foi nosso,
estaria talvez no redondo do teu adeus,
em transparência
sem acreditar


 
Autor
joanazdemelo
 
Texto
Data
Leituras
142
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
23 pontos
3
2
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
PedroGeraldo
Publicado: 27/05/2019 13:47  Atualizado: 27/05/2019 13:47
Participativo
Usuário desde: 19/02/2019
Localidade:
Mensagens: 35
 Re: Crença vazia
POesia é um negócio maluco e, nessa maluquice, o negócio que salta aos olhos é essa coisa boa de colocar no papel o que passa pela mente, se aloja no coração, toma forma e, através dos dedos, munidos de caneta fica registrado para prazer de uns, indiferença de outros e paixão de poucos (estou no grupo dos que tem prazer de ler).

Muito bom e... seja bem vinda, ou revinda, ou trevinda.


Enviado por Tópico
Namas-tibet
Publicado: 11/06/2019 12:43  Atualizado: 11/06/2019 12:43
Colaborador
Usuário desde: 17/07/2018
Localidade: Azeitão/Setúbal, Portugal
Mensagens: 875
 Re: Crença vazia
alumiadas no pretérito do escrito ?

se nas vezes dos pés,
minhas fossem as mãos do queixume,

(em vez dos pés ou em vez de pés )