https://www.poetris.com/
Poemas : 

vem, que eu digo-te.

 


não hã dizeres possíveis quando é proibido o encontro dos corpos.

hoje, amanhã. um dia,
real, a esperança com que olhamos o dia seguinte desejado imprevisto
temido

nada mais.
apenas a ideia do sonho sorri, incrédula. e o cheiro a mar, a onda que se cruza com a tua a minha e foge.

[os pés permanecem secos. em espera. esperando o areal de ti prometido e nunca desbravado.]


 
Autor
AlmaMater
Autor
 
Texto
Data
Leituras
72
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.