https://www.poetris.com/
Poemas : 

Entre o sol da meia tarde

 
Mil vezes regressaste
pegando numa emoção
a decifrares-te como um fruto maduro.

Por dentro das palavras adiadas
um espaço vazio

ocupado agora pela tua presença.
Do fundo do tempo

[ do fundo de ti mesmo ]

trazes a música das lembranças
talvez uma canção de embalar
a passar entre o sol da meia tarde.

Linha tardia a unir o passado e o presente.
As mil vezes de cada palavra
carne viva de pontes que permanecem a olhar as águas correntes.

A vontade de ser sonho.
A urgência de ser gesto. De ser vida neste azul que me aquieta

ora árvore
ora pétala.

 
Autor
Briana
Autor
 
Texto
Data
Leituras
183
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
32 pontos
6
5
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 01/08/2019 12:30  Atualizado: 01/08/2019 12:31
 Re: Entre o sol da meia tarde
Briana... vós arranjais uns nomes mais giros... estou a tomar um cimbalino e acabei de ler um poema muito bom, quanto a mim claro. é muito bom quando percebemos através da poesia nomeadamente, quando há poesia, que nem tudo é inútil. poeta. ou poetiza. eu gosto mais de poeta. não exerço por não ter vocação ser meio trengo e mais alguns defeitos mas... obrigada pela respectivo momento/leitura.


Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 01/08/2019 12:48  Atualizado: 03/08/2019 00:11
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29256
 Re: Entre o sol da meia tarde
Lembranças são sonhos de um ontem que ainda esta em nossas mentes, ainda edificada por nossas mente. Uma poesia bela e maravilhosa, de se ler muito prazerosa


Enviado por Tópico
Andeiro
Publicado: 03/08/2019 11:59  Atualizado: 03/08/2019 11:59
Muito Participativo
Usuário desde: 07/03/2017
Localidade:
Mensagens: 98
 Re: Entre o sol da meia tarde
Parabéns pelo lindo texto

deixo-te este breve poema
estimulado pelo teu :


em vez de árvore ou de pétala
gostaria que fosses
flor gigante
com asas em vez de folhas
com garras em vez de calos

pudesses dar a sombra
no solário das estrelas
a quem podasse as tuas dores
e carguejasses... teu amor
para longe do mar
quando as vivas marés
aguarelassem
as cúpulas do vosso olhar

um abraço sentido