https://www.poetris.com/
Poemas -> Reflexão : 

De broa do

 
Tags:  poesia    reflexão    surreal  
 
esperar por quê,
se o tempo não se
veste para sair daqui morto,
recordado como terra,
esperar sim,
mas na vanguarda
da decisão,
independente do vício,
dos lamentos
dos rios que vacilam
em pranto,
quando tudo na vida
abana em seco
para o abismo,....


a meu ver nada,
se pinta a ocre
enquanto os olhos
cegos se adaptam
ao sangue,
nada faz sentido
ao esperar pela força,...


nada mais presente que o
passado de fome cantado

 
Autor
joanazdemelo
 
Texto
Data
Leituras
93
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
12 pontos
2
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 08/08/2019 12:46  Atualizado: 08/08/2019 12:46
 Re: De broa do
olhe Joana, uma vez que existe o botão comentar eu às vezes comento. o problema é comentar quando os textos são bons. e de facto, tenho gostado muito de passar por aqui. estava aqui a tomar café... eu gosto muito de broa doce de milho. aliás almocei sardinha pequenina frita daquelas que se come rabo cabeça e tudo com arroz de feijão vermelho e broa doce de milho acompanhar. olhe que ganhou um leitor. continuação de um bom dia