https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Uma letra sentada

 
Procuram-me os segredos
contidos à solta,
que correm como as crianças
e os rios.

Inguardados.

Vêm-me falar
com a emergência dos provérbios,
de dentro da sua prisão.

Ao ouvido que cedo
murmuram na voz do grito,

oiço.

Impressos em mim,
sou o seu corpo e o seu sangue,
pergaminho sem penitência.

Sob juras
repito:

Assim como todos os dias o mundo acaba
cada um é de festa.
Feliz dia novo!


A minha pátria é a língua portuguesa.
Bernardo Soares

Saibam que agradeço todos os comentários, de coração...
Por regra não respondo.



 
Autor
Rogério Beça
 
Texto
Data
Leituras
369
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
12 pontos
0
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.