https://www.poetris.com/
Poemas : 

Quase Poesia

 


Que Rio triste de Janeiro a Janeiro,
Que Rio cheio de tiroteio,
Que Rio triste terra de pistoleiro,
Que Rio triste, nunca vi mais feio,

E eu que gostava tanto do Rio inteiro:
Flamengo, Copacabana, Catete, Recreio,
Mas hoje, "o que é isso, companheiro ?"
Diria Gabeira, cheio de receio...

E o tiroteio diário que não para,
Acaba com a baía da Guanabara
Deixando triste nosso coração...

Ah, Cristo Redentor que nos redime,
Livra nosso Rio de tanto crime,
E cobre o Rio com sua proteção...


Sou uma folha seca, negada do conforto do sono entre as páginas de um livro com um final feliz e varrida implacavelmente pelos ventos do tempo.

M.Laís:

 
Autor
M.L.Pinheiro
 
Texto
Data
Leituras
96
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
ALFA
Publicado: 08/10/2019 17:47  Atualizado: 08/10/2019 17:47
Colaborador
Usuário desde: 14/04/2015
Localidade:
Mensagens: 880
 Re: Quase Poesia
A poesia também é intervenção
Lembrando a quem faz a guerra
Que um dia toda a sua podridão
Acabará debaixo da mesma terra!