https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Os dedos do artista

 
Hoje o sol pirou
vermelho queimando
minha face.
No ar, e vibram sons
que desconheço.

É o demônio rasgando o meu peito.
Os seus dentes são serrilhados.
e como baba esse gosmento!...
Não dou um pio.
Sequer um ai.

Min'nha boca se cala
enquanto ele come a
minha parte.

Minha ovelha está sem bunda , com patas geladas; mal consegue andar.

Não dou um pio!
Sequer um ai!
Maldigo o
pesadelo,
quando irei acordar?

O demônio carniceiro comeu
as entranhas do cordeiro.

Come, caga!
Caga e anda!
Não dou um pio
Sequer um ai.

Já não aposto
mais nada.
Entreguei as
cartas há quatro meses.


Leonor Huntr

 
Autor
Huntr
Autor
 
Texto
Data
Leituras
676
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
5 pontos
3
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Huntr
Publicado: 08/10/2019 22:02  Atualizado: 08/10/2019 23:20
Participativo
Usuário desde: 06/10/2019
Localidade:
Mensagens: 21
 Re: Os dedos do artista
Hoje, eu me lembrei
de Aquazulis.
Na escrita
faço uso de palavrões(?).
Cada um é cada um, cada um escreve o que quer.
Certa noite, ele me escreveu no reservado:
As pessoas não gostam de poemas
como os seus.
Faz muito uso de palavrões.
Eu respondi a ele:
Pouco me importo!
Eu não gosto.de pessoas.
Sou de opinião que os espiritos são livres
e que os poemas
nada mais são do
Que reflexos de sentimentos, da alma de cada um.
Os meus reflexos não são azuis, eles não tem a mansidão das águas.
Só a força do repuxo.

Enviado por Tópico
bitcoin
Publicado: 09/10/2019 07:41  Atualizado: 09/10/2019 07:41
Da casa!
Usuário desde: 05/09/2019
Localidade:
Mensagens: 269
 Re: Os dedos do artista
os dedos do artista... ai... vão direitinhos ao ponto... desenhar as cores.
o nietzsche também dizia que a arte existe para não morrermos da realidade.
o ponto g é fulcral e um alívio por vezes além de regenerador é também o salvador da pátria
quando a ouço cantar já sei eheh
um bom dia