https://www.poetris.com/
Sonetos : 

TER SAUDADE (soneto)

 
Tags:  poeta    saudade    Luciano Spagnol    lembrança    ter  
 
Ter saudade é ser rasgado, cortado
Com o fio das lembranças de quem teve
É ser mendigo na convivência breve
Grito que lastima na soberania do fado

É esmurrar como quem abraça
Enxurrar de lágrimas a alma nua
No vazio do eco da noite de lua
Que no âmago de solidão jaça

É aprisionar o olhar na dor
Ir além do possível infinito
É grito no peito muito maior

São manhãs sem alvorecer
É flamejar o próprio espírito
É ser e não ser, é adormecer

© Luciano Spagnol - poeta do cerrado
19/12/2015, 14'15"- Cerrado goiano


Sou alma do cerrado, pé no chão, do triângulo, do chapadão. Pão de queijo com café, fogão de lenha, das vilas ricas, arraiais, filho de Araguari, das Gerais...
© Luciano Spagnol - poeta do cerrado

 
Autor
LucianoSpagnol
 
Texto
Data
Leituras
129
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.