https://www.poetris.com/
Sonetos : 

TER SAUDADE (soneto)

 
Tags:  poeta    saudade    lembrança    Luciano Spagnol    ter  
 
Ter saudade é ser rasgado, cortado
Com o fio das lembranças de quem teve
É ser mendigo na convivência breve
Grito que lastima na soberania do fado

É esmurrar como quem abraça
Enxurrar de lágrimas a alma nua
No vazio do eco da noite de lua
Que no âmago de solidão jaça

É aprisionar o olhar na dor
Ir além do possível infinito
É grito no peito muito maior

São manhãs sem alvorecer
É flamejar o próprio espírito
É ser e não ser, é adormecer

© Luciano Spagnol - poeta do cerrado
19/12/2015, 14'15"- Cerrado goiano


Sou alma do cerrado, pé no chão, do triângulo, do chapadão... Pão de queijo com café, fogão de lenha, das vilas ricas, arraiais, sou filho de Araguari, das Gerais...
(© Luciano Spagnol - poeta do cerrado)

 
Autor
LucianoSpagnol
 
Texto
Data
Leituras
31
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.