https://www.poetris.com/
Sonetos : 

Fortuna

 
Não te incomodes co'a putrefação,
Que a beleza da vida está na morte:
Uma carcaça podre, sem consorte,
À mercê de necrófagos, no chão.

Não esperes de um deus a boa mão,
Nem do fado um sequer pingo de sorte.
Alie-se à desgraça e te confortes
Co'a iminente ruína, meu irmão!

Fite a carniça, amigo! Serás tu
Muito em breve! E o famélico urubu
Devorar-te-á com ímpeto ferino!

E só então terá alguma segurança --
Quando fores um corpo sem 'sperança
Consumido p'lo vil verme: o destino.

Castro, 15/11/19

 
Autor
Mainardes
Autor
 
Texto
Data
Leituras
137
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
14 pontos
2
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Namas-tibet
Publicado: 18/11/2019 17:15  Atualizado: 18/11/2019 17:15
Colaborador
Usuário desde: 17/07/2018
Localidade: Azeitão/Setúbal, Portugal
Mensagens: 1061
 Re: Fortuna e Mai'nada ....
E Mai'nada ....

Enviado por Tópico
JorgeSantos
Publicado: 10/12/2019 15:24  Atualizado: 10/12/2019 15:26
Da casa!
Usuário desde: 28/06/2019
Localidade:
Mensagens: 419
 Re: Fortuna
Obrigado pelo consolo ( e mai'nada)