https://www.poetris.com/
Poemas : 

Preso em Liberdade: Parte V

 
Fiz o que não devia;
Estraguei tudo – se é que havia algo para estragar... –
Intrometi-me, magoei, ofendi (talvez!) quem mais admiro (sim, ainda a admiro).
Não há mais nem um sorriso...
Nem mesmo um olhar...
Agora nada!
Se antes pouco havia, menos agora há, na verdade, não há, é algo nulo,
vazio, frio, triste e desprezível...
O que farei?
Errei, errei... realmente errei...
Tentei ajudar?
A quem quis ajudar?
A ela ou a mim mesmo, esperando algo em troca?
De que vale uma ajuda se o principal objetivo é o interesse –
interesse este meu, meu interesse: egoísta, bobo, fraco, sem caráter, desprezível também. – e não o sujeito a quem se oferece a ajuda?
- Se é que isto pode ser chamado de ajuda! –
Não creio.
Nos olhos dela não posso mais olhar, fitá-los, nem pensar!
Tenho vergonha...
Vergonha de mim, do que fiz, do que posso ter causado pelo simples egoísmo:
pensava em mim, não nela...
Fui tolo ao pensar que levava vantagem.
Tolo, tolo... tolo... tolo... to... lo... tolo...
E qual vantagem?
Por acaso, tenho eu alguma qualidade que poderia fazer com que ela me amasse, ou simplesmente gostasse de mim,
largando assim,
o seu verdadeiro amor?
O que me dá o direito de querer entrar em sua vida (dela, a minha musa), se nem
seu amigo sou?
ARG... estou louco! Deveras louco...

 
Autor
Rafael007
Autor
 
Texto
Data
Leituras
119
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
14 pontos
2
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 05/12/2019 23:43  Atualizado: 05/12/2019 23:43
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 16342
 Re: Preso em Liberdade: Parte V
Rafael
É tão fácil meter os pés pelas mãos, mas sempre dá para consertar! Apreciei a leitura!
Beijos!
Janna