https://www.poetris.com/
Poemas : 

... a espaços

 



às vezes sobram-me espaços
entre a voz e o interior da luz

o corpo
indizível
entre musgos e espigas
e as mãos
imóveis
caídas ao longo do sonho

depois
a entrada do olhar
na anestesia dos rios

e a nudez da memória

em queda

cativa da noite
e das marés do tempo áspero

singrando esperas
no silêncio das aves.

 
Autor
evelina
Autor
 
Texto
Data
Leituras
103
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
14 pontos
2
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
RoqueSilveira
Publicado: 23/05/2020 16:31  Atualizado: 23/05/2020 16:31
Colaborador
Usuário desde: 31/03/2008
Localidade: Braga
Mensagens: 8256
 Re: ... a espaços
e a espera é sempre um ritual dos dias, os espaços cabe a nós preenchê-los. muito bonito