https://www.poetris.com/
Poemas : 

Girassóis

 
Da minha janela observo as árvores num reboliço,...
O monte por subir entre as colinas,...
Neste vento, onde as cores se misturam a quente, que me traz o piar
dos pássaros,...
Por onde entra o silêncio, e a ansiedade me acalma
Cada vez mais ansiosa,...
Como se sereno fosse o batom que não te coloco nos olhos,
Com o beijo das searas,
Ao te ver,...
No sonho onde te adormeço os girassóis do inverno.



Esqueci

 
Autor
Esqueci
Autor
 
Texto
Data
Leituras
102
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
2
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Rogério Beça
Publicado: 24/05/2020 23:14  Atualizado: 25/05/2020 00:36
Colaborador
Usuário desde: 06/11/2007
Localidade:
Mensagens: 1730
 Re: Girassóis
Depois de ler um "sol ansioso", aparece esta planta-flor com um dos comportamentos mais estranhos da natureza.
Tudo bem que conseguimos explicá-lo com a dependência do sol para se alimentar, mas agora gostava de saber porque é que as outras flores não seguem o sol também.

Estando ele ansioso, ou não!
É um poema que sabe a Alentejo.
"...monte(s)..." e "...searas..." de "...girassóis..." por lá há.
Isto de citar com aspas dá um trabalho!
Mas a fazer, é bem feito. Mais ou menos...
Peço desculpa ao\à Pleonasmo por citar parte do seu título do seu poema mais recente acima, e a ti por fazê-lo aqui.
Os cinco últimos versos são espantosos.
Inspiraram-me o comentário. Mas os "...girassóis de inverno..." deixam-me um ligeiro amargo de boca, que não quero evitar.

És inesquecível, mas é.

Abraço