https://www.poetris.com/
Poemas : 

Madrepérola

 
Tags:  amor    saudade    reflexão  
 
 

A lua projetava o seu perfil azul,
Sobre os velhos arabescos das flores calmas,
Era como o ninho futuro,
apurado em beleza sobre a pequena varanda.
E das ramadas escorriam gotas
que antes não haviam.
Na rua ignorada, anjos brincavam de roda...
– Ninguém sabia, mas nós estávamos ali.
Só os perfumes exaltados no ar
teciam a renda pura da tristeza,
Porque as corolas eram alegres
como frutos saudáveis.

Uma inocente pintura
brotava do desenho das cores,
Pus-me a sonhar um poema na mesma hora,
E, talvez ,ao olhar meu rosto exasperado
Pela ânsia de tê-la tão vagamente querida amiga,

Talvez ao pressentir na carne,
nas partes sensíveis do meu coração,
A germinação estranha do meu indizível apelo,
Ouvi bruscamente a claridade do teu riso roubado,
Num gorjeio de gorgulhos do sereno de água enluarada.

Era tão belo, tão mais belo do que a noite,
Tão mais doce que o mel dourado dos teus olhos,
Que, ao vê-lo trilar sobre os seus dentes,
como um címbalo,
E escorrer sobre os teus lábios
como um suco vitalizado,
E marulhar entre os teus seios como uma onda,
Eu chorei docemente
na concha de minhas mãos vazias,
Arrependido de não ter ocultado meu severo sentimento,
Com medo de que tivesses me possuído
antes de ter me amado...






Desenvolver-se significa mover-se a cada momento mais profundamente no princípio da vida; significa afastar-se da morte - não ir na direção da morte.

Quanto mais profundo você vai para dentro da vida, mais entende a imortalidade dentro de você. O princípio é a peregrinação. A vida deve ser uma busca - não um desejo, mas uma pesquisa: não uma ambição para tornar-se isso, para tornar-se aquilo, um presidente de um país, ou um primeiro-ministro, mas uma pesquisa para encontrar 'Quem sou eu?'. É muito estranho que as pessoas que não sabem quem elas são, estão tentando se tornar alguém. Elas nem mesmo sabem quem elas são neste momento! Elas não conhecem os seus seres - mas elas têm um objetivo de vir a ser. Vir a ser é a doença da alma. O ser é você e descobrir o seu ser é o começo da vida. Então cada momento é uma nova descoberta, cada momento traz uma alegria. Um novo mistério abre as suas portas, um novo amor começa a crescer em você, uma nova compaixão que você nunca sentiu antes, uma nova sensibilidade a respeito da beleza, a respeito da bondade.

Você se torna tão sensível que até a menor folha de grama passa a ter uma importância imensa para você. Sua sensibilidade torna claro para você que essa pequena folha de grama é tão importante para a existência quanto a maior estrela; sem esse folha de grama, a existência seria menos do que é. E essa pequena folha de grama é única, ela é insubstituível, ela tem a sua própria individualidade.

E essa sensibilidade criará novas amizades para você - amizades com árvores, com pássaros, com animais, com montanhas, com rios, com oceanos, com as estrelas. A vida se torna mais rica enquanto o amor cresce, enquanto a amizade cresce...

Quando você se torna mais sensível, a vida se torna maior. Ela não é um pequeno poço, ela se torna oceânica. Ela não está confinada a você, sua esposa e seus filhos - ela não é confinada de jeito algum. Toda essa existência se torna a sua família e a não ser que toda essa existência seja a sua família, você não conheceu o que é a vida. - porque homem algum é uma ilha, nós estamos todos conectados. Nós somos um vasto continente, unidos de mil maneiras. E se o nosso coração não está cheio de amor pelo todo, na mesma proporção a nossa vida é diminuída.
 
Autor
Kramer
Autor
 
Texto
Data
Leituras
90
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
13 pontos
1
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
AntónioFonseca
Publicado: 03/06/2020 16:49  Atualizado: 03/06/2020 16:50
Colaborador
Usuário desde: 31/05/2013
Localidade:
Mensagens: 985
 Re: Madrepérola
O reconhecimento de uma pérola que brilha nos olhos, no sentimento puro onde o coração bombeia o sangue que corre pelas veias, brotando uma paixão digna de aplausos.
Gostei da intensidade do seu poema, o homem não pode ser uma ilha, mas sim a força e o amor partilhada na existência no seio de uma família.

Os meus cumprimentos.
Abraço poeta Kramer