https://www.poetris.com/
Sonetos : 

MAL SECRETO (soneto)

 
Tags:  amor    poeta    cerrado    Luciano Spagnol    mal    secreto  
 
Se o vazio que sente, na saudade que mora
No peito, e sufoca cada gesto recordado
Cada olhar do passado, que a dor devora
Pouco será a imensidão do vasto cerrado

Pra que se possa ecoar tal tristura sonora
A sensação que chora, e a lágrima da face
Que escorre, e que chameja a toda hora
Na recordação, sem que haja desenlace

Se se pudesse, do ser a ventura recrear
Da alma só felicidade então aí dimanar
Tudo seria melhor neste amor inquieto

Mas, está cólera que espuma, e jorra
Da ausência, e a solidão que desforra
Nos cala, e estampa um mal secreto...

© Luciano Spagnol - poeta do cerrado
2020, 01 de agosto – Triângulo Mineiro

Vídeo, Canal do YouTube:
https://youtu.be/n2npsIxrwXo



Sou alma do cerrado, pé no chão, do triângulo, do chapadão. Pão de queijo com café, fogão de lenha, das vilas ricas, arraiais, filho de Araguari, das Gerais...
© Luciano Spagnol - poeta do cerrado

 
Autor
LucianoSpagnol
 
Texto
Data
Leituras
37
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
3 pontos
1
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Migueljaco
Publicado: 01/08/2020 22:04  Atualizado: 01/08/2020 22:04
Colaborador
Usuário desde: 23/06/2011
Localidade: Taubaté SP
Mensagens: 9482
 Re: MAL SECRETO (soneto)
Boa tarde LucianoSpagnol, parabéns pelos vossos instigantes versos enredando aos nossos incômodos afetivos que são muitos, um abraço, MJ.