https://www.poetris.com/
Poemas : 

Convenção

 
Viver debaixo de nuvens esquisitas
é um fardo.
Viver com o reto despido não é fácil.

Coração descompassado, loucura
n'um cérebro
embriagado de espermas!

Quiçá...

Felicidade, seja bom nome pro falo quando o gozo
desatinar a boca.

O baluarte:

No credo do medo, o
cedro impera
com ternura e glória.

Aí,aí,aí...
Serro azul!

Ser livre!...
Um livro!...
As baias d'um lírio tão pobre!


Leonor huntr

 
Autor
Veit
Autor
 
Texto
Data
Leituras
193
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
7 pontos
5
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
nereida
Publicado: 28/09/2020 13:34  Atualizado: 28/09/2020 13:34
Colaborador
Usuário desde: 27/08/2017
Localidade: São Paulo
Mensagens: 1743
 Re: Convenção
Desabafo de quem muito a dizer!
Um delírio! Bjs Leonor.


Enviado por Tópico
Mr.Sergius
Publicado: 28/09/2020 23:15  Atualizado: 28/09/2020 23:15
Da casa!
Usuário desde: 14/08/2018
Localidade:
Mensagens: 304
 Re: Convenção
Open in new window

As chagas hoje profundas sangram com eloquência tingindo o pó
Por cima da avidez deste terrível e escuro passaporte para morte
Amanhã serão cicatrizes do que se foi, nos dias que colhes da vida
Não só o que se plantou, mas aquilo que se herdou sem o desejar
Para poder resistir conclamo sortilégios nas madrugadas da vida
Nessa luta afrontar os demônios que trocam as árvores por cinzas
Como um dia a ternura já foi trocada pela ingratidão e o silêncio
Carrego em mim os esquecidos segredos da antiga magia de voar
Sei que um amor chegará antes que a última manhã cale a palavra
Sei que chegará de repente e não lembrará de como é dizer adeus
Virá na bruma das sílabas só proferidas quando se revela o sonho
Ficará para sempre, pois o amor revive à luz noturna das palavras

Nesta solidão, de onde despejo a tinta com que escrevo o teu nome
por geografias proibidas, uma boca em chamas que me beija a boca