https://www.poetris.com/
Sonetos : 

PÔR DO DIA

 
Tags:  poeta    cerrado    sol    Luciano Spagnol    dia    por  
 
Na hora silenciosa do sol poente
Na fleuma do cessar em melodia
Encenava a voz da prosa reluzente
Que no ocaso do cerrado ali jazia

No olhar, a divagação presente
Na sensação, a imaginação ardia
E a ilusão em um tom crescente
Rezava no horizonte uma litania

E o depois, sei lá do que o depois
Pois, fiquei comovido, e nós dois
Eu e a noite, admirados, bramia

E na incitação maior do agreste
Apenas sei que o que me deste
Evidente, foi um belo pôr do dia

© Luciano Spagnol - poeta do cerrado
21/10/2020, 09’29” – Araguari, MG

Vídeo, Canal no YouTube:
https://youtu.be/QAkgkOoY0vY


Sou alma do cerrado, pé no chão, do triângulo, do chapadão. Pão de queijo com café, fogão de lenha, das vilas ricas, arraiais, filho de Araguari, das Gerais...
© Luciano Spagnol - poeta do cerrado

 
Autor
LucianoSpagnol
 
Texto
Data
Leituras
51
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Mr.Sergius
Publicado: 22/10/2020 19:24  Atualizado: 22/10/2020 19:24
Da casa!
Usuário desde: 14/08/2018
Localidade:
Mensagens: 362
 Re: PÔR DO DIA
Os finais de tarde, como chamamos por aqui o pôr do dia, é o mais belo momento do dia, tanto aqui na praia como no cerrado. Agradeço pela bela imagem que seu poema nos trouxe... Abraços.