https://www.poetris.com/
Sonetos : 

À SOMBRA DUM SONETO

 
Tags:  amor    poeta    cerrado    Luciano Spagnol    SONETAR  
 
Penso no amor e fico, com receio
De ser uma lembrança rejeitada
Dessas que ao sentimento veio
E que na estória foi descartada

E nesta poética largado. Creio
Ser emoção na poesia pousada
E no haver o sentimento alheio
Passa, nas pegadas de ser nada

Choro, desejo, também há medo
De o meu versar tornar obsoleto
Ou me perceber vazio e quedo

Porém, não tenho algum amuleto
Confesso que nem algum segredo
Só espero, à sombra dum soneto!

© Luciano Spagnol – poeta do cerrado
26/10/2020, 05’46” – Triângulo Mineiro

Vídeo, no meu canal do YouTube:
https://youtu.be/_pveUYYQDHw


Sou alma do cerrado, pé no chão, do triângulo, do chapadão. Pão de queijo com café, fogão de lenha, das vilas ricas, arraiais, filho de Araguari, das Gerais...
© Luciano Spagnol - poeta do cerrado

 
Autor
LucianoSpagnol
 
Texto
Data
Leituras
33
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.