https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Do Laço e do Traço*

 
@

Do Laço e do Traço*

desata-me da utopia
do cetim que me desenha
rubra curva arisca
traz um verso de frouxas fitas
uma palavra de fogo-sem rima.

desata-me da angústia
do frisson que arranha
traz um poema de pele
de ranhuras e reentrâncias
doçuras sem laços-ternura tamanha.

traz um beijo de letras
de mel, carinhos e cerejas
que serei escarlate verso
rendição em fúria
desata-me da incerteza
de "ser-me" em ti palavra única

Karinna*
 
Autor
karinna*
Autor
 
Texto
Data
Leituras
252
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
16 pontos
10
3
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 27/11/2020 16:24  Atualizado: 27/11/2020 16:24
 Re: Do Laço e do Traço*
sem utopias e distopias o futuro será sempre igual a ontem, um dia de merda. foda-se, pareces uma bruxa. tu não comes rapariga!
beijinho


Enviado por Tópico
karinna*
Publicado: 28/11/2020 13:47  Atualizado: 28/11/2020 13:47
Da casa!
Usuário desde: 26/11/2017
Localidade:
Mensagens: 230
 Re: Do Laço e do Traço*para o amigos q fiz aqui.
*Nesses anos de Luso, com um hiato por alguns meses, creio q seja o segundo comentário desse teor q recebo.
Confesso q fiquei chateada, por vários motivos.
*sou super sensível e frágil, e o Luso teve e tem um valor inestimável para mim, pois foi meu arrimo na época do tratamento de radioterapia.
*jamais fiz um comentário dessa forma, mesmo não apreciando o que li e vi .
*não sou poeta. Escrevo por hobby e terapia e porque amo as palavras.
*único comentário q lembro ter recebido nesse enfoque, foi da Laís, desejando a minha morte, em função da minha luta contra o plágio.
* estou no bônus, dez anos lutando contra o câncer, todo dia é um dia de vida ou de morte, portanto minha aparência "macabra" não me preocupa. Faço tratamento constante para anemia crônica e tenho insônia, o q me confere essa brancura, essa aparência, como diz essa pessoa, de bruxa.
São pequenas sequelas para mim, comparando com o tipo e o grau de malignidade do câncer q tive.
Desculpa, peço aos amigos, vces não tem nada com isso, porém, doi-me ver q esse espaço tão amado e visto, e fez e me faz tão bem, seja agora, tbem alvo de ofensas gratuitas.
As palavras tem poder, elas amam, agregam, purificam, motivam, trazem reflexão, contudo tbem podem ser de morte. Como lido com a morte diariamente, creio q superarei rsrsrs.
Porém, nao podia deixar de expressar minha tristeza com esse comentário.
Um abraço carinhoso nos amigos. Até!
Carinho
K+




Enviado por Tópico
Juanito
Publicado: 01/12/2020 22:49  Atualizado: 02/12/2020 14:06
Colaborador
Usuário desde: 26/12/2016
Localidade: España
Mensagens: 3013
 Re: Do Laço e do Traço*
Gostei muito do seu poema, estimada Karina. Você escreve muito bem.

Grande abraço!!

Enviado por Tópico
Frágilvocábulo
Publicado: 02/12/2020 00:34  Atualizado: 02/12/2020 00:34
Participativo
Usuário desde: 04/08/2019
Localidade:
Mensagens: 22
 Re: Do Laço e do Traço*
Não duvides do azul do céu, quando o escuro chega sem as estrelas. Também não duvides da tua beleza, quando um estranho te cerca com desalentos …

Tu és bela e sempre foste, pela alma sublime que carregas… sente-se nas palavras que abotoas …

E como és bela por fora!

Meu Deus… és uma musa com as ondas nos olhos …

Força

Enviado por Tópico
Migueljaco
Publicado: 03/12/2020 13:38  Atualizado: 03/12/2020 13:38
Colaborador
Usuário desde: 23/06/2011
Localidade: Taubaté SP
Mensagens: 9693
 Re: Do Laço e do Traço*
Bom dia karinna*, parabéns pelos vossos inspiradores versos, enredando um intenso sentir, um abraço, MJ.

Enviado por Tópico
IsabelRFonseca
Publicado: 03/12/2020 14:14  Atualizado: 03/12/2020 14:15
Colaborador
Usuário desde: 25/05/2013
Localidade:
Mensagens: 3944
 Re: Do Laço e do Traço*


Minha querida poetisa, eu tenho sido atacada
neste site tantas vezes não só a minha pessoa
mas também a minha família , marido e filha
António Castela Fonseca - Carolina Fonseca
que me parte o coração
Comentários que são da mais pura maldade


beijos poetisa Karinna*