https://www.poetris.com/
Sonetos : 

CARNAVAL SEM FOLIA

 
Tags:  poeta    cerrado    Luciano Spagnol    sem    carnaval    folia  
 
Carnaval! Carnaval! Este ano sem folia
A turba em silêncio, e vazia a rua a fora
Os blocos na solidão, e sombria poesia
Pierrot, e agora?... Colombina simbora!

Isolado o canto dum ébrio sem melodia
Versos desertos em uma solitária hora
A cidade nua, crua, e a habitual fantasia
Trava e deplora, a aurora, então, chora!

A mascarada, gorada, no ato acidental
De traço descorado e de olhos baços
Vem sossegar-se comigo no carnaval

Aquieta-te neste carnaval sem desejos:
Sem as serpentinas e os coloridos laços
Ausentes de confetes e furtivos beijos!

© Luciano Spagnol - poeta do cerrado
07/02/2021, 09’03” – Triângulo Mineiro
Pandemia – Carnaval atípico.

Vídeo poético no canal do YouTube:
https://youtu.be/pidLiae-mxw


Sou alma do cerrado, pé no chão, do triângulo, do chapadão. Pão de queijo com café, fogão de lenha, das vilas ricas, arraiais, filho de Araguari, das Gerais...

- quarto filho de José Lino Spagnol e Joana D'Arc Brasileiro Spagnol.

 
Autor
LucianoSpagnol
 
Texto
Data
Leituras
89
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
10 pontos
0
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.