https://www.poetris.com/
Poemas : 

Penalidade

 
Tags:  corpo  
 
Vida eterna queria eu ter!
Como posso eu sempre viver?
Reparo em meu corpo, eis que é finito!
Nele tudo é imundo! Débil é tudo isto!
Mas se eu morresse e ressuscitasse?
Só assim eu poderia, sempre viver!
Se outra pessoa eu ficasse!
Se de novo eu viesse a nascer!
Se a penalidade fosse meu castigo.
Mas eu vida tivesse, neste meu ser.
Se Deus fosse meu amigo!
E foi isto que aconteceu!
Deus morreu, por mim, para eu vida ter!
Em Jesus Cristo, isto se deu!


Já fui Pastor das Assembleia de Deus em Portugal. Mas depois de ter ficado doente com a doença de Parkinson tive que deixar o ministério...Hoje estou na Unidade de Longa Duração e Manutenção de Albufeira...

 
Autor
HELDER-DUARTE
 
Texto
Data
Leituras
101
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 26/02/2021 21:54  Atualizado: 26/02/2021 21:54
 Re: Penalidade
a questão é pertinente, e contudo fácil de resolver. eu hoje posso ser um pouco diferente do eu amanhã. acaso esteja desiludido comigo hoje posso sempre lapidar-me no sentido de encontrar quem gostaria de ser. mas sublinho que tudo está nas nossas mãos. o corpo é o menos. a partir duma certa idade o corpo é um cepo meio torto e... sabe uma coisa, quando era mais novo elas diziam, agora que sou meio velho elas dizem, mas o que interessa isso! vivamos a vida sem a deixar às mãos do alheio e um dia encontramo-nos meios gordos maljeitosos e com aquele sorriso satisfeitos. a vida é o que é e não vale a pena inventar. dê-lhe tudo. seja bom