https://www.poetris.com/
Poemas : 

VERSO

 
Tags:  amor    poeta    solidão    verso    LUCIANO SPAGNOL.CERRADO  
 
Instante vazio. Um silêncio carrancudo
E a inquietação ativada no sentimento
Tudo é parado, nem mesmo o vento
Cochicha na mansidão, está tão mudo

Eu fico a versar, em um rogo agudo
Vejo, solitário, o vão do pensamento
Que em tal momento é tão sedento
Tão inútil e, que no engano me rudo

Ó divindade desta razão tão bonita
Que dá relevo ao agrado e, acredita
Na consolação das solidões tortas

Cede-me a poética e distinta calma
Para que, no soneto traga pra alma
Fôlego, e não quietas horas mortas...

© Luciano Spagnol – poeta do cerrado
06/03/2021, 10’10” – Triângulo Mineiro

Vídeo no canal do YouTube:
https://youtu.be/u8yO78EiEn0


Sou alma do cerrado, pé no chão, do triângulo, do chapadão. Pão de queijo com café, fogão de lenha, das vilas ricas, arraiais, filho de Araguari, das Gerais...

- quarto filho de José Lino Spagnol e Joana D'Arc Brasileiro Spagnol.

 
Autor
LucianoSpagnol
 
Texto
Data
Leituras
86
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
amifrejr
Publicado: 06/03/2021 16:44  Atualizado: 06/03/2021 16:44
Super Participativo
Usuário desde: 28/03/2017
Localidade: ALEXANDRIA & RIACHO DA CRUZ-RN
Mensagens: 103
 Re: VERSO
Ler boa e bela poesia é sempre um reconfortante elixir para com ânimo e esperança! parabéns pelo presente soneto!