https://www.poetris.com/
Sonetos : 

PROSA

 
Tags:  poeta    cerrado    Luciano Spagnol    romance    prosa  
 
Não demore, venha já, velho estou
Há tanto para relembrar, o passado
Teu olhar no meu, ver o que restou
Apertar tuas mãos, ficar ao teu lado

Quero sonhar afagos do que passou
E não comunique que está ocupado
O amor foi tanto, ainda não acabou
Sorva, que só assim, pra ser amado

O tempo fugaz voou, e tal o alcance
A saudade, de nós, assim, suponho:
- pois, desta prosa ainda há traços...

Não se pode silenciar este romance
Ele decerto faz parte do doce sonho
Pressinto desejar-nos nos abraços!

© Luciano Spagnol – poeta do cerrado
06/03/2021, 19’20” – Araguari, MG

Vídeo no canal do YouTube:
https://youtu.be/OPXaQL-Ezk4


Sou alma do cerrado, pé no chão, do triângulo, do chapadão. Pão de queijo com café, fogão de lenha, das vilas ricas, arraiais, filho de Araguari, das Gerais...

- quarto filho de José Lino Spagnol e Joana D'Arc Brasileiro Spagnol.

 
Autor
LucianoSpagnol
 
Texto
Data
Leituras
89
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
3 pontos
1
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Erotides
Publicado: 07/03/2021 09:32  Atualizado: 07/03/2021 09:32
Colaborador
Usuário desde: 26/02/2020
Localidade: BRASIL
Mensagens: 818
 Re: PROSA
Gostei. Não se pode silenciar um sentimento, ele faz parte de um sonho.