https://www.poetris.com/
Poemas : 

Raízes

 
Existem palavras pequeninas
que tu não conheces. Palavras pequenas
sem princípio ou fim

como seiva ou raízes a crescerem no interior dos corpos.
Ou como a eternidade. Palavras como pai mãe filho amor.
A eternidade. Mas tu não

conheces a eternidade. Atravessas o tempo
coberto de nomes transitórios

cercado de silêncios inflamados
onde queimas as palavras. Pequeninas.


G.

 
Autor
Gilda.
Autor
 
Texto
Data
Leituras
172
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
28 pontos
8
2
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Esqueci
Publicado: 07/04/2021 08:50  Atualizado: 07/04/2021 08:50
Super Participativo
Usuário desde: 02/11/2019
Localidade:
Mensagens: 190
 Re: Raízes
Existem palavras que morrem aqui, outras simplesmente desaparecem. Intenso, Parabéns!

Abraço


Enviado por Tópico
ALFA
Publicado: 07/04/2021 13:34  Atualizado: 07/04/2021 20:48
Colaborador
Usuário desde: 14/04/2015
Localidade:
Mensagens: 1064
 Re: Raízes
As raízes são sempre essenciais
Sem elas nada poderia subsistir
Mas são as melhores credenciais
Na vida atual, e na que há-de vir!


Enviado por Tópico
Liliana Jardim
Publicado: 08/04/2021 13:24  Atualizado: 08/04/2021 13:24
Luso de Ouro
Usuário desde: 08/10/2007
Localidade: Caniço-Madeira
Mensagens: 4571
 Re: Raízes
Gostei de te ler poetisa, de outros tempos...

Beijinhos


Enviado por Tópico
Rogério Beça
Publicado: 18/04/2021 09:55  Atualizado: 20/04/2021 11:30
Colaborador
Usuário desde: 06/11/2007
Localidade:
Mensagens: 1939
 Re: Raízes
As raízes das palavras são a base da etimologia.
Engraçado, como dentro da realidade pessoal dos países desenvolvidos não existem certas faltas. Falta de tecto, de telemóvel, de água, de direitos humanos (muito discutível)...
Assim, um dos elementos mais básicos da humanidade, as palavras e a comunicação em geral, nem entram no nosso dia-a-dia de forma consciente.
Como o ar que se respira.

Sei que ando em círculos no título, mas além de ser o começo das palavras, é o que alimenta qualquer ser vivo do reino das plantas. Além disso, tem ainda a propriedade de fixar as árvores ao solo, dar-lhes estabilidade.
Alimentam o Homem. As batatas e as cenouras (entre outras) são raízes.
Pode ser, também, o passado residual de cada pessoa, de onde viemos, onde nascemos e fomos criados.

Sem sufixos nem prefixos avança o teu poema, num tom sério com uma dedicatória expressa pela negativa, repetidamente.
"...tu não..."

E a este "...tu..." parece faltar muito.
Num poema tão grande há uma pequenez latente a que o sujeito poético alude, que avança pelos olhos do leitor.

A incapacidade de reconhecer o mais básico, volta duma forma violenta.
"...Palavras como pai mãe filho amor..." que não podem ser omissas, nem menosprezadas, são o melhor exemplo.
Em contraste com a "...eternidade...", que nos alimenta (o futuro diria eu), que marca também muito essa ignorância.

Safa!

Obrigado pela leitura