https://www.poetris.com/
Poemas : 

Convergências

 



Sei que é tangível

a cumplicidade da palavra.

Clamo-a

agora mais do que nunca

para que nada mais se cumpra entre mim

e esta solidão cinza-violácea

que desce pelo anoitecer e respira

por dentro das paredes.

A saudade, tu sabes.

A casa embebida de longes.

A lentidão dos dias que passam.

A luz das pequenas coisas

simples e inadiáveis

suspensas nas intermitências da voz.

Espaços em branco

em redor do meu corpo. A fragmentarem

o movimento de um tempo que vem de fora

e demora a chegar.






"Fizeste da tua vida
Uma catedral abandonada
Horas esquecidas
Em adoração nocturna
Pedindo silêncio
A tudo o que perdeste."

Luís Falcão, in "Pétalas negras ardem nos teus olhos"


 
Autor
evelina
Autor
 
Texto
Data
Leituras
196
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
20 pontos
4
4
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
ALFA
Publicado: 11/04/2021 23:49  Atualizado: 11/04/2021 23:49
Colaborador
Usuário desde: 14/04/2015
Localidade:
Mensagens: 1096
 Re: Convergências
Podem ser várias as carências
Que nos faz percorrer estradas
E nem sempre as convergências
Poderão ser as melhores aliadas!


Enviado por Tópico
Liliana Jardim
Publicado: 14/04/2021 16:59  Atualizado: 14/04/2021 16:59
Luso de Ouro
Usuário desde: 08/10/2007
Localidade: Caniço-Madeira
Mensagens: 4577
 Re: Convergências
A saudade o sabes, senti-la
Gostei de te ler poetisa

Beijinhos