https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Muros

 
A voz do trompete a gemer

na dormência da luz.


Poderá ser o grito da loucura a revolta da

dor

contra a inclemência do caos universal

a trancar o tempo da utopia.


Nos escombros da luz chora o trompete

e a solidão da criança no coração do olhar.


Dir-se-ia uma epifania amarrotada

um silêncio náufrago

cúmplice da salvação sem farol.


E os meus olhos cobertos de sombras devastadas

bloqueados por um mundo em dissonância

procuram um verbo que nos devolva as estradas do mar


e


num lamento de sangue partilhado

evocam fantasmas e demónios

uivos que me consomem

omnipresentes.












"Fizeste da tua vida
Uma catedral abandonada
Horas esquecidas
Em adoração nocturna
Pedindo silêncio
A tudo o que perdeste."

Luís Falcão, in "Pétalas negras ardem nos teus olhos"


 
Autor
evelina
Autor
 
Texto
Data
Leituras
206
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
20 pontos
6
3
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Marineuza
Publicado: 15/04/2021 15:56  Atualizado: 15/04/2021 15:56
Da casa!
Usuário desde: 08/04/2020
Localidade:
Mensagens: 268
 Re: Muros
Um poema carregado de drama. Drama real da vida.
Gostei de ler e fico a reflectir.

Beijo

Enviado por Tópico
ALFA
Publicado: 15/04/2021 21:23  Atualizado: 15/04/2021 21:23
Colaborador
Usuário desde: 14/04/2015
Localidade:
Mensagens: 1089
 Re: Muros
Muros carecem ser rasgados
Para os olhares se expandir
Serão os melhores legados
De quem está, e hão-de vir!

Enviado por Tópico
Esqueci
Publicado: 16/04/2021 20:48  Atualizado: 16/04/2021 20:48
Da casa!
Usuário desde: 02/11/2019
Localidade:
Mensagens: 207
 Re: Muros
Um poema que nos faz pensar, de profunda dor, um grito no silêncio.

Obrigada, por partilhar!
Abraço amigo :)


Enviado por Tópico
silva.d.c
Publicado: 29/04/2021 02:02  Atualizado: 29/04/2021 02:02
Da casa!
Usuário desde: 26/10/2010
Localidade:
Mensagens: 487
 Re: Muros
"Dir-se-ia uma epifania amarrotada

um silêncio náufrago

cúmplice da salvação sem farol."

Dir-se-ia de um sentimento recorrente, de uma esperança impotente de superar obstáculos, de tentar viver em linha reta, ignorando os ciclos. "Dir-se-ia uma epifania amarrotada"

Abraços