https://www.poetris.com/
Poemas : 

Entretanto, florescem os girassóis

 

A instabilidade dos espaços a desdobrarem
falhas e desabamentos.

[ Versos inabitáveis corporizam
luz-memória a desvendar madrugadas. ]

Mãos cansadas aguardam um tempo de permeio
oculto num ponto de partida
onde o céu me sabia de cor e sonhava as flores da utopia
que tempestades secaram.

Nada sei do mundo
e aprendo com o sol as estações
que se renovam ou o movimento
das sombras que ascendem no horizonte.

Dentro do coração da palavra todas as
chaves serão minhas. O mundo
nasce lá fora alinhado no vento
das manhãs pintadas de fresco. O recomeço das cinzas
ou da viagem da alma
primeira guardiã do tempo.




G.

 
Autor
Gilda.
Autor
 
Texto
Data
Leituras
158
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
13 pontos
5
4
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
ALFA
Publicado: 18/06/2021 20:49  Atualizado: 18/06/2021 20:49
Colaborador
Usuário desde: 14/04/2015
Localidade:
Mensagens: 1200
 Re: Entretanto, florescem os girassóis
Alma” vadia” por onde andas
Talvez disfarçada em caracóis
Mas só tu no âmago mandas
Teu calor faz abrir os girassóis.


Enviado por Tópico
Esqueci
Publicado: 18/06/2021 23:46  Atualizado: 18/06/2021 23:46
Da casa!
Usuário desde: 02/11/2019
Localidade:
Mensagens: 361
 Re: Entretanto, florescem os girassóis
Estamos sempre a aprender, aprender com a natureza é maravilhoso, também gostava de ter assim as chaves todas para abrir as portas da natureza. Mas nem sempre as portas se abrem.:)
Gostei muito de ler, como sempre!

Um abraço amigo