https://www.poetris.com/
Poemas : 

Entre pingos de chuva

 

Perguntas pelos horizontes

que me iludem as águas. São a chama

que me escreve o mundo

a luz que me ensina a soletrar a morte

que há de chegar.

Poderão ser palavras

que envelhecem contra a noite

ou as coisas improváveis

que recolho nas minhas mãos desprevenidas.

Talvez o relâmpago que se entranha no mar

ou a sílaba

amarrada

que transpõe as margens

no poema.




G.

 
Autor
Gilda.
Autor
 
Texto
Data
Leituras
156
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
8 pontos
2
3
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Erotides
Publicado: 26/07/2021 02:13  Atualizado: 26/07/2021 02:13
Colaborador
Usuário desde: 26/02/2020
Localidade: Brasileira
Mensagens: 1382
 Re: Entre pingos de chuva
.
Profundo poema a luz que ensina ...
E as mãos desprevenidos ...
Pega algo que não podia é a luz ensina o que é a morte.

"Mas a morte não deixa muitos recados "

Desculpe se em alguns momentos viajei , mas isso é o legal da poesia, leva a perguntar e te ajuda a encontrar respostas.