https://www.poetris.com/
Poemas : 

Convulsão cósmica

 
Tags:  Cósmica    convulsão  
 


A trajetória evolutiva de uma alma é tão longa, que tudo é feito no sentido de acelerar sua evolução. Os taoístas diziam que o inicio da vida de um ser humano se assemelha ao começo da vida do universo. Se compreendermos o nosso corpo, conseguimos compreender o universo inteiro. O nosso universo é conhecido por ser de livre escolha e é apenas uma célula de todo um corpo cósmico. No corpo humano adulto podemos encontrar mais de 70 trilhões de células dos mais variados tipos: da pele, do cérebro, do coração e outros órgãos. Todas elas derivam das células-tronco. Estas células têm a capacidade especial de formar qualquer conjunto de células, com exceção da placenta, e de criar cópias idênticas delas mesmas. Em média morrem todos os dias cerca de 50 mil milhões de células no nosso corpo. Em torno de 432 bilhões de células nascem todos os dias trazendo ao corpo físico. Apesar do corpo passar por uma renovação da cabeça aos pés em intervalos que variam entre 7 e 10 anos, vale lembrar que as células de diferentes órgãos e tecidos se renovam com ritmos diferentes, dependendo do quanto cada uma precisa trabalhar para desempenhar suas funções. Todo o ciclo de vida das células da pele terminam a cada 21 dias. Tudo no corpo físico se relaciona intimamente ao corpo cósmico. Dentro desta visão cósmica podemos compreender as afirmações contidas em Gênesis, o homem foi feito a imagem e semelhança de Deus. Tendo dado as primeiras pinceladas no nosso quadro, vamos a nossa história. Um grupo de 12 almas que ja haviam terminado ao longo da eternidade todos os caminhos evolutivos de todas as células do corpo cósmico e não tendo mais o que aprender, juntas resolvem criar uma célula nova e inédita na história cósmica. Vamos entender melhor isso. Todas as células humanas derivaram das células tronco e todas as almas da fonte que tudo é. Desprendidas da fonte e individualmente estas almas iniciam as suas trajetórias de evolução lá na base, em mundos mais primitivos. Em linguagem figurada e a nível de ilustração, podemos fazer uma analogia com o corpo humano. Na base do nosso corpo temos as solas dos nossos pés, grossas, fortes e resistentes para terem contato direto com o solo e sustentar o peso do nosso ser em movimento. Qual a inteligência contida nas solas dos pés para suportar tamanho atrito, pressão e compressão? Milhões de células nascendo e morrendo o tempo todo contendo todo este aprendizado de suportar todo o peso do corpo. Imaginem agora que uma alma iniciando sua trajetória de evolução nas solas dos pés, dentro de uma célula, dentro de um planeta dentro da célula. Como seria este mundo, como seriam seus habitantes, sua cultura, seus aprendizados? Quanto tempo, quantas encarnações ali até se completar todos os aprendizados destes mundos? Completados os aprendizados contidos nas solas dos pés, irias dar um salto quântico para os joelhos? Imagina uma trajetória de aprendizado por todos os mundos dos órgãos, sexuais, excretores, rins, fígado, baço, pulmão, coração, olhos, ouvidos, garganta, nariz, cérebro, pelos, tudo, tudo. Imagine 70 trilhões de células divididos em inúmeros mundos de aprendizados diferenciados para cada função específica de órgão distintos. Tenho dito que para vivenciar o aprendizado contido em uma única célula do corpo cósmico gastaríamos uma eternidade. Quantas células teriam o corpo cósmico, o humano 70 trilhões e o cosmos? Teríamos que rever nossos conceitos de eternidade e aprendizado, não é mesmo? Imaginem agora 12 almas sendo as únicas que completaram cem por cento todos os aprendizados contidos em todas as trilhões de células que compõem o corpo cósmico. Completado tal aprendizado, elas se projetam para fora deste corpo e o contemplam por inteiro. Nesta visão eles se surpreendem, o corpo cósmico mirava algo além dele mesmo. Juntas elas elaboram um projeto, ajudar este ser cósmico a alcançar a sua meta, até o presente momento, nem elas mesmas sabem qual é com clareza, mas se dispõem a ajudar. Imbuídas deste propósito maior, elas criam uma célula nova dentro do corpo cósmico, imediatamente, o corpo inteiro se convulsiona criando revoluções em todas as células em todos os mundos dentro das células. Este movimento, esta convulsão está acelerando o corpo cósmico na direção daquilo que ele vê, mira e quer chegar. Contudo, nem todas as entidades e hierarquias condutoras e mestras das células do corpo cósmico veem isso positivamente e uma guerra de proporções inimagináveis tem início. Umas veem a nova célula como um câncer que irá enfraquecer e matar todo o corpo cósmico, outras são neutras e outras apoiam cem por cento o novo universo, a nova célula. Tudo é uma aposta evolutiva, do corpo cósmico até a vida humana. #convulsãocósmica


O grande conflito ocorrido na constelação de Órion iniciado na primeira encarnação do universo de livre arbítrio foi o evento mais importante e inédito de toda a história cósmica. Suas consequências estão intimamente ligadas a todos os desdobramentos d...

 
Autor
sendoluzmaior
 
Texto
Data
Leituras
129
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
sendoluzmaior
Publicado: 19/10/2021 18:15  Atualizado: 19/10/2021 18:15
Colaborador
Usuário desde: 01/05/2012
Localidade: Belo Horizonte
Mensagens: 720
 Re: Convulsão cósmica
Luiz Franchini
Luiz Franchini
há 17 minutos
Adorei a metáfora Sidney. Na forma como falou , abrem-se novas linhas de percepção acerca da função dos seres que vivem neste universo ante aqueles que nos precederam de outros universos. A pergunta é: já que somos micro universos, toda doença que se apresenta em qualquer parte do corpo físico seria então uma experiência para que os criadores aprendam através de seres como nós, encarnados, sirvamos de experiência para que eles e por consequência todos sem exceção aprendam a lidar com com as células "enlouquecidas"? E se for assim, estamos nós todos ao aceitar esta forma de vida, participando ativamente desse experimento, num verdadeiro sacro ofício a favor da criação? Vamos parar por aqui, porque uma outra alternativa pode ferir muitas susceptibilidades.