https://www.poetris.com/
Poemas : 

O livro da estupidez em x-actos - Acto 86

 
Olhava eu estupefacto aquele horizonte belo
A tua perfeita silhueta traçada em contraluz
Perante o suave e incontornável rubro ocaso
A água do rio corria frágil no silêncio singelo
Pregada também ela humana na eterna cruz
Que se adorava distraída naquele ser a prazo

Já tinha tantas saudades desse dia de amanhã
O desgraçado que teimoso se demorava por cá
Fingia ter desistido daquele meu futuro destino
Tu continuavas sentada junto da breve manhã
Nua qual memória que num dia me esquecerá
Qual sonho que se perde num sorriso menino

Antes ainda contava quantos dias me faltavam
Desisti por já não te saber contar tantos a sós
Deixa-me dar-te a mão e sair aí à tua procura
Sou agora como a chuva que outros olhavam
Uma só recordação do que juntos fomos nós
Essa música que nos teus olhos dança segura


A Poesia é o Bálsamo Harmonioso da Alma

 
Autor
Alemtagus
Autor
 
Texto
Data
Leituras
99
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
22 pontos
4
1
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Egéria
Publicado: 02/12/2023 08:05  Atualizado: 02/12/2023 08:05
Usuário desde: 28/09/2009
Localidade:
Mensagens: 845
 Re: O livro da estupidez em x-actos - Acto 86
Olá,
que maravilha de poema... Fiquei fascinada!!
Abraço


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 02/12/2023 11:37  Atualizado: 02/12/2023 11:37
 Re: O livro da estupidez em x-actos - Acto 86
Sou agora como a chuva...

Continuo amando!
Abraços