https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

teoria do baralho

 
duque,
título nobilarquico inferior a Rei
terno,
às vezes visto, outras sou
quadra,
ladra quatro versos
quina,
brasão, braseiro e bandeira
sena,
já chega no plural
manilha,
sete, que maravilha
valete,
valente sem n
dama,
dà a volta a qualquer um
rei,
em todos manda
às,
um por vezes, e "há" no plural...




A minha pátria é a língua portuguesa.
Bernardo Soares
www.poemassagem.blogspot.pt

Saibam que agradeço todos os comentários, de coração...
Por regra não respondo.



 
Autor
Rogério Beça
 
Texto
Data
Leituras
1632
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
7 pontos
5
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 12/09/2008 15:40  Atualizado: 12/09/2008 15:40
 Re: teoria do baralho
Criativo e inteligente...precisa dizer mais?? adorei!!

Enviado por Tópico
Amora
Publicado: 12/09/2008 17:39  Atualizado: 12/09/2008 17:39
Colaborador
Usuário desde: 08/02/2008
Localidade: Brasil
Mensagens: 4763
 Re: teoria do baralho
No fundo, no fundo,
o mundo é uma mesa


Muito bom, Rogério!

Beijo

Amora

Enviado por Tópico
fogomaduro
Publicado: 12/09/2008 19:19  Atualizado: 12/09/2008 19:19
Colaborador
Usuário desde: 06/08/2008
Localidade:
Mensagens: 1478
 Re: teoria do baralho
Não passo. Vou a jogo.

Belo poema.

DM

Enviado por Tópico
q14
Publicado: 12/09/2008 22:10  Atualizado: 12/09/2008 22:10
Da casa!
Usuário desde: 02/10/2007
Localidade:
Mensagens: 247
 Re: teoria do baralho
Bom Rogério, bom.

O jogo.. sueca? Sem oito, nove e dez.