https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Amor : 

“LOUCO”

 
.


Irei republicar muitos deste textos [com melhorias, acredito] aqui no luso com outro nick, o que me acompanhará para sempre - sampaio rego

 
Autor
joseluislopes
 
Texto
Data
Leituras
1116
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
30 pontos
14
0
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
(re)velata
Publicado: 03/05/2009 01:15  Atualizado: 03/05/2009 01:15
Colaborador
Usuário desde: 23/02/2009
Localidade: Lagos
Mensagens: 2181
 Re: “LOUCO”
Muito intenso, o teu poema, pelo modo como descreve a espera de um amor que não chega na passagem voraz dos dias - de cada dia!

Destaco:
«Novamente mentirei enquanto for dia ,
Farei imaginação,
Direi a sorrir:
- Deixei o amor a dormir!
Nesta casa, quem trabalha sou eu.

Logo, emergirá uma nova noite…
Mas o desejo, esse, será o mesmo….
LOUCO….»

Um beijo


Enviado por Tópico
miriade
Publicado: 03/05/2009 02:30  Atualizado: 03/05/2009 02:30
Colaborador
Usuário desde: 28/01/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 2171
 Re: “LOUCO”
Eu creio que de louco...todos temos um pouco, é unanimidade, relativa a todos.E bela é a louquice de imaginar um grande amor,pra devotar com entusiasmo o ato de amar de desejar....espero ter feito uma interpretação coerente ...rsrs Um grande beijo Lu


Enviado por Tópico
cleo
Publicado: 04/05/2009 01:29  Atualizado: 04/05/2009 01:29
Luso de Ouro
Usuário desde: 02/03/2007
Localidade: Queluz
Mensagens: 3857
 Re: “LOUCO”
Já tinha lido este poema ontem e só não o comentei, porque o tempo não me deixou... mas hoje não poderia deixar de o fazer.

E porque muitas vezes se enlouquece de solidão, enquanto se inventam desculpas para apaziguar a dor que vai na alma, nada melhor do que escrever sobre o que se está a sentir de modo a que se atenue o sofrimento. Há quem diga que os melhores poemas são os que a tristeza e a decepção escrevem!

Louco?
Não...
Solitário talvez.

Beijo


Enviado por Tópico
Vania Lopez
Publicado: 06/05/2009 12:55  Atualizado: 06/05/2009 12:55
Colaborador
Usuário desde: 25/01/2009
Localidade: Pouso Alegre - MG
Mensagens: 17658
 Re: “LOUCO”
Intenso poema e abençoada loucura que nos da privacidade de poder sentir o que quiser, esperar e dizer. Não nos priva de nada.
Vou levar comigo.
Beijos


Enviado por Tópico
VónyFerreira
Publicado: 07/05/2009 00:25  Atualizado: 07/05/2009 00:25
Membro de honra
Usuário desde: 14/05/2008
Localidade: Leiria
Mensagens: 9702
 Re: “LOUCO”
Porque tenho uma estranha sensação que o conheço?
Que a sua poesia me é familiar?
Devorei cada palavra deste poema e sinceramente identifiquei-me com cada sílaba, ficando ainda... a estranha sensação que...
Céus! Fará sentido?
Ora aqui fica um abraço!
Vóny Ferreira


Enviado por Tópico
FatinhaMussato
Publicado: 08/05/2009 04:11  Atualizado: 08/05/2009 04:11
Colaborador
Usuário desde: 17/11/2007
Localidade: Jales (SP / BR)
Mensagens: 2106
 Re: “LOUCO” p/ joseluislopes
José Luis,

Vim agora conhecer teus escritos e confesso que apreciei demais cada um que eu li!
Escolhi este para comentar, por tratar do meu assunto predileto: amor!
Teus versos tem muito a ver com os meus... falam de amor, paixão, solidão, dor de amor!
Voltarei a te ler, para te conhecer melhor... Apesar de já ter a sensação agradável de ter lido teus poemas antes! É como se já te conhecesse... Sei lá, algo estranho...

Beijinhos em seu coração!

Fatinha.


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 08/05/2009 16:11  Atualizado: 08/05/2009 16:12
 Re: “LOUCO”
Há algum tempo eu também percorro esses caminhos e paisagens de solidão pintados neste seu lindo poema. Cônscio do mundo a minha volta, evolui, de eremita moderno para; ora louco, ora solitário. Hoje, um 'louco solitário' e assim, eu me arrisco caminhar na companhia dos meus versos, aqueles, que na minha solidão caem nas minhas mãos como uma dádiva, e os que eu vomito quando dou asas a minha loucura. Enfim; bebi este poema do começo ao fim.

ainda não tinha lido-o. cheguei aqui pela prosa da Vóny. como vê, não me arrependi.

meu fraterno abraço poeta.
José Silveira