https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

(in)Descrições

 
Vou perdido para a minha reta em sentido Proibido,
O sentido da felicidade do Amor...
Nesta terra assim, que calco, esquecido.

É, porque quase sempre foi, assim que me sinto
Mas quem quer saber da tua alma?
Quem querá dizer que merece paz, tranquilidade, calma...

(digo a chorar)

Porquê?! só gostava de ser feliz, sem mais nada,
nem queria ter tudo aquilo que já quis... não queria isso,
Quero poder respirar sem me procupar se estou a incomodar alguem,
quero poder viver a minha vida sem me preocupar com mais ninguem

(de punhos cerrados com os olhos lavados na agua salgada)

Quero libertar-me de mim, porque me mal trato assim?!
Como se já não houvesse gente suficiente,
Porquê??! não quero isto para mim....
Não quero ser assim para sempre!

(introspeção)

Coisas que digo, que penso mas sobretudo que sinto,
Podem parecer exageros, e em certa medida até o são,
Pode até parecer muita coisa, mas é só medo que tenho de ter medo...
Medo de tantas vezes ver "não!".

Porque a força dos mais corajosos e todas as suas esperanças,
é porque se parassem para pensar eram dominados pelas suas proprias inseguranças.

 
Autor
O_Poeta_Chanfrado
 
Texto
Data
Leituras
688
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Rogério Beça
Publicado: 15/05/2009 08:40  Atualizado: 15/05/2009 08:40
Colaborador
Usuário desde: 06/11/2007
Localidade:
Mensagens: 2102
 Re: (in)Descrições
Interessante a forma como o ritmo dos versos entram pelo pensamento a dentro.
Um poeta a reter.

Chanfrado qb.

Abraços.

Enviado por Tópico
Branca
Publicado: 19/05/2009 16:43  Atualizado: 19/05/2009 16:43
Colaborador
Usuário desde: 05/05/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 3023
 Re: (in)Descrições
Intenso.
bj.