https://www.poetris.com/
 
Textos -> Outros : 

Melodias

 
Tags:  vidas  
 
.


Irei republicar muitos deste textos [com melhorias, acredito] aqui no luso com outro nick, o que me acompanhará para sempre - sampaio rego

 
Autor
joseluislopes
 
Texto
Data
Leituras
1125
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
18 pontos
18
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 19/05/2009 14:14  Atualizado: 19/05/2009 14:14
 Re: Melodias
Como amei!
Deixei-me entrar por estas palavras,senti todas sua dúvidas,suas dores,mergulhei fundo,me encontrei,na esperança visualizei o coração lindo que tens!
Tão doce,tão terno,tão solitário...
Mas a esperança que há em ti é linda!

Parabens!
Beijos carinhosos!
Rosa


Enviado por Tópico
luciusantonius
Publicado: 19/05/2009 14:27  Atualizado: 19/05/2009 14:27
Colaborador
Usuário desde: 01/09/2008
Localidade:
Mensagens: 670
 Re: Melodias
Belíssimo poema e gostei que ele tivesse a forma da prosa. Sim, é urgente que não se retire à prosa poética a dignidade do poema. Também me senti percorrer os caminhos agrestes que se nos deparam, inevitáveis.Mas rejubilei com os focos de esperança que aqui e além o iluminaram e com o extâse final. Felicito-o
Um abraço
Antonius


Enviado por Tópico
morethanwords
Publicado: 19/05/2009 17:53  Atualizado: 19/05/2009 21:02
Colaborador
Usuário desde: 21/11/2008
Localidade:
Mensagens: 1507
 Re: Melodias
"No topo, olho o mundo que para mim nunca deixou de ser bonito; tanta coisa que a minha vista alcança e que eu amo!
Tudo o que é importante para mim está lá e, já parado no precipício, espero que uma brisa me leve para junto dos Anjos. "


Vivi este lindo poema... a parte que mais me tocou foi o entregar alma, a Fé...

Voltei para acrescentar, sacode o sofrimento, respira felicidade e escreve até que os dedos te doam, este é o meu desejo...
E que desse lado do oceano o pensamento se solte Open in new window
mais vezes, pois escreves muito bem...

Um jinho,
T!na


Enviado por Tópico
(re)velata
Publicado: 19/05/2009 20:45  Atualizado: 19/05/2009 20:45
Colaborador
Usuário desde: 23/02/2009
Localidade: Lagos
Mensagens: 2181
 Re: Melodias
Que texto belíssimo!

Para mim, a poesia também tem uma função catártica. Mas não deixes que o sofrimento desague apenas nos dedos... deixa que a sua foz seja o papel, em textos assim.

Um beijo


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 21/05/2009 19:16  Atualizado: 21/05/2009 19:16
 Re: Melodias
É na brisa que me passa agora pela face que me delicio e nela me entrego para que através das suas palavras me sinta com vontade de escrever mais algumas prosas...


Gostei muito


Enviado por Tópico
Nanda
Publicado: 22/05/2009 11:30  Atualizado: 22/05/2009 11:30
Colaborador
Usuário desde: 14/08/2007
Localidade: Setúbal
Mensagens: 11186
 Re: Melodias
José,
Muito lindo um texto poético que nos mergulha no eu, onde se encontra a própria poesia do nosso ser.
Bj
Nanda


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 22/05/2009 14:27  Atualizado: 22/05/2009 14:27
 Re: Melodias
Já tinha lido e voltei a ler. Não me canso...

Mas digo-lhe que gostei muito da frase final:


"Tudo o que é importante para mim está lá e, já parado no precipício, espero que uma brisa me leve para junto dos Anjos"

Um registo entre o cá e o lá, e a certeza de que existe, é fantástico

Beijos e abraços


Dulci......


Enviado por Tópico
VónyFerreira
Publicado: 24/05/2009 22:37  Atualizado: 24/05/2009 22:38
Membro de honra
Usuário desde: 14/05/2008
Localidade: Leiria
Mensagens: 9702
 Re: Melodias
A sua prosa é envolvente. A solidão que descreve com palavras de veludo é uma espécie de dinossauro que nos causa uma espécie de comoção indescritível.
Sim gostei. Mas bebi-lhe o sofrimento, e para sofrimento, já basta o meu... rsrs
Abraço
Vóny Ferreira


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 28/05/2009 03:55  Atualizado: 28/05/2009 03:55
 Re: Melodias
Caro José Luiz.

Só posso agradecer pela oportunidade
de ler algo tão bem escrito,que deixa
marcas profundas na alma.

Um forte abgraço

Ulysses