https://www.poetris.com/

 
(1) 2 3 »
Offline
boxer
"Quando ainda se ignora a morte", de J. Tolentino de Mendonça
Provavelmente hoje será o dia em que escutaremos mais vezes o nome de Tolentino de Mendonça. Prov...
Enviado por boxer
em 05/10/2019 11:34:48
Offline
boxer
poros
o pai no banho usava sempre sabão clarim não valho mais que o pano-cru das lavadeiras de mundão ...
Enviado por boxer
em 28/09/2019 09:04:31
Offline
boxer
A canção perdida
Há muitos anos, li num jornal uma crítica musical a um álbum qualquer, do qual se destacava uma c...
Enviado por boxer
em 26/05/2019 15:45:33
Offline
boxer
genitivo
que diurna condição é esta, que me conduz à luz dos bosques? ao momento em que nascemos um do out...
Enviado por boxer
em 05/03/2019 15:55:29
Offline
boxer
A minha solidão merece a tua?
Gostei muito deste texto e achei que talvez haja alguém por aqui que se identifique com ele, como...
Enviado por boxer
em 30/12/2018 18:37:07
Offline
boxer
ofício dos egressos
por alguma razão a maior palavra da minha língua é uma doença outrora já houve cânticos, adornos...
Enviado por boxer
em 05/10/2018 10:33:29
Offline
boxer
paterson
quantos gémeos há no mundo? no caminho observo coisas converso com desconhecidos escuto os seus ...
Enviado por boxer
em 12/09/2018 10:06:49
Offline
boxer
a última estância
toda a minha vida nada mais foi que um truísmo mas tanto quanto sei às vezes até é possível ter u...
Enviado por boxer
em 16/08/2018 10:57:12
Offline
boxer
a urina de céline
morria diariamente cada vez mais cedo para melhor se abeirar da luz que só a ignorância consente ...
Enviado por boxer
em 29/06/2018 11:05:55
Offline
boxer
pelo teu nome
só hoje soube que sempre vivi no interior da tua boca no teu nome lembro-me de tudo antes de ti...
Enviado por boxer
em 29/04/2018 23:12:31
Offline
boxer
filho do homem
há um silêncio egípcio paira sobre estas mãos sinto-o como restos de carne entredentes mas a ca...
Enviado por boxer
em 09/03/2018 09:48:20
Offline
boxer
Vespertina
Dois traços rigorosamente irregulares, borrões de negro que se fundem: Que tarde de vento guarda...
Enviado por boxer
em 02/03/2018 16:29:45
Offline
boxer
tecnologia do desalento
hoje não se fala no pretérito, senhora das despedidas, é dia de corpos despidos, soluços vendados...
Enviado por boxer
em 26/11/2017 18:03:22
Offline
boxer
cataratas
serei, pois, cordeiro envenenado. e engulo de novo a bôla azeda que o avô me deu a provar, vinha ...
Enviado por boxer
em 10/11/2017 18:31:38
Offline
boxer
não serei pau de cabeleira
último verso da canção e cai-me a questão no regaço como nódoa em blusa nova me acordou em sobres...
Enviado por boxer
em 22/09/2017 18:31:47
Offline
boxer
pinóquio
eu acredito, mesmo que a minha glote se tinja de vazio, mesmo que os meus gestos hábeis sejam fác...
Enviado por boxer
em 01/08/2017 13:08:24
Offline
boxer
Eu nunca dediquei poemas às fortunas (plágio)
Prevendo algumas críticas, identifico as obras cujos excertos copiei (vd. notas no final do texto...
Enviado por boxer
em 26/07/2017 09:39:04
Offline
boxer
"Se", de Rudyard Kipling
Escutar a voz do Villaret, viva como nunca, continua a ser uma experiência arrepiante... "...
Enviado por boxer
em 22/07/2017 09:52:42
Offline
boxer
a verdade sobre a temperança
pelo equívoco é que vamos pelo deslumbramento pela fé crias descobertas no recuo das marés em voo...
Enviado por boxer
em 06/07/2017 16:00:24
Offline
boxer
Lições de marroquinaria
Na verdade, o mestre dizia: Escrever poesia fina trajada de popelina. Bordar estrelas em céu de ...
Enviado por boxer
em 04/07/2017 18:31:27
(1) 2 3 »