https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de Acef

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Acef

Despedida de um amor

 
Nem sei como começar,
Quando apareceste era tudo inverno,
nada importava,
eu pensava que viva no inferno,
eu parei de viver,
tive te a frente e nem te consegui ver,
escrevo hoje outra-vez,
não dei valor nem vi o quanto preciso de ti,
destruí-te sem motivos,
fui infantil,
e hoje sinto o meu coração a mil,
estou perto de me tornar senil,
se pudesse te mostrar o quanto sinto a tua falta,
o quanto te quero, o quanto te venero,
eu espero e desespero,
agora que o amor acabou e a amizade ficou,
apesar do que fiz,
sou egoísta e quero ser o tal que te vai fazer feliz,
quero te provar que sou mais do que fui,
magoei me ao magoar-te,
sinto falta do conforto,
da palavra do beijo quando tudo dá para o torto,
sinto falta das longas caminhadas,
todas as vezes que falamos e não digo o quanto te amo parecem frases inacabadas,
de me perder no teu carinho,
nunca soube até hoje o que é estar sozinho,
e apesar de tudo é estranho,
tu mudaste o meu mundo,
sempre usei a raiva e sempre mandei tudo ao fundo,
apenas porque estava mal,
hoje estou mal e não sinto necessidade de magoar ou manipular,
estou miseravelmente feliz por apenas estar infeliz
e hoje que te perdi,
encontrei-me e mais uma vez graças a ti
nunca tive a coragem fugi do sentimento,
não te disse que te amava até ao fim,
então nesta escrita tenho tanto para dizer,
que és linda e maravilhosa,
que mesmo na primeira noite chuvosa foi a noite mais luminosa,
quando riamos eu perdia me no teu sorriso,
que me perdi nos teus olhos,
quando fechava os meus olhos no teu colo via as asas de um anjo,
foste a minha deusa e ainda hoje és a minha inspiração,
isto não é só amor é paixão e amizade,
isto é arrependimento e saudade,
este sou eu, e este eu que nunca te disse mas que te ama de verdade...
tentei te mudar mesmo amando tudo em ti,
vi imperfeições onde não havia,
não vi alegria quando a possuía,
e não via a tristeza quando te perdia,
mas hoje que é definitivo,
sei que perdi a melhor pessoa que alguma vez conheci,
apesar de tudo tu és tudo para mim,
se não houver volta então só te quero ver bem,
e se eu não te mereci quero alguém que mereças,
que te diga, que te faça sentir o que não consegui,
amo-te hoje e amarei te até ao fim
 
Despedida de um amor

A morte dos desabafos

 
As malas estão feitas,
esta será a carta de despedida,
foste o meu apoio,
a amiga mais querida,
vou com viagem só de ida,
sem saber o que fazer sem ti,
e isso aos poucos da cabo de mim,
mais de uma década a teu lado,
caminhamos juntos por tanto,
viste me mudar,
viste me a chorar,
viste me a gritar,
assististe a tudo e nunca partiste,
mas é altura de eu estar a altura,
é tempo para uma nova aventura,
só de pensar que já não te irei procurar,
estou assustado,
estou com medo,
mas eu não irei voltar,
assim te pouso para um ultimo repouso,
minha caneta... tanto que enfrentamos,
tanto que choramos,
tão poucos sorrisos que partilhamos,
é altura de ter fé nas pessoas e deixar te de lado,
não é que não me sinta agradecido,
não é que tenha esquecido,
mas a minha escrita cada vez me deixa mais entristecido,
quanto mais escrevo menos esqueço o acontecido....
A minha escrita nunca teve poesia,
nunca teve beleza,
minha escrita tudo o que fala é de tristeza,
cada vez escrevo pior,
então no fundo a minha escrita não é poema, não é um texto é um desabafo...
Esta na altura de desabafar com alguém que responde,
que não me deixe chegar aos extremos de escrever,
por isso te faço isto minha escrita,
eu sinto me agradecido,
e foste a minha melhor amiga
Acredita....
 
A morte dos desabafos

O poder de uma palavra amiga

 
Quando me perco no rumo,
quando tudo estava mesmo ruim,
ela sorrio,
veio até mim,
depois de a ter deixado,
ela segurou a minha mão e andou comigo,
deixando todos os problemas de lado,
quando me senti sozinho estava la a sua voz,
uma força que cresce inexplicavelmente,
quando tudo estava escuro,
quando não sabia nada do futuro,
era encontrou me mal e fez me duro,
hoje sei que estou bem e perduro,
as conversas douradoras
perdi horas a desabafar,
tu perdeste horas para me encontrar,
e depois de ter me afastado de ti,
hoje sei que nunca mais me farei o mesmo a mim,
" o teu tempo é agora "
" Respira. vês? ainda respiras."
Respiro e em ti me inspiro,
Estiveste la para mim e continuas a estar..
Uma amizade como a tua é impossível encontrar !
 
O poder de uma palavra amiga

Desabafo.

 
fazem meses minha caneta que larguei esta minha dependência,
cabeça erguida mas em decadência,
porque eu caio com tanta frequência,
eu pensava que me poderia voar,
atirei me de um arranha céus direito para o chão,
asas minhas que não batem,
coração que não bate apenas estremece,
minha escrita que apenas escurece,
eu estou a cair,
sem sinais para seguir,
sem caminho para perseguir,
desespero para desistir,
lágrimas apenas dizem que não posso mais resistir,
estou a branquejar eu sinto muito mas muito é pouco para o que sinto,
eu só queria pertencer ao teu lado,
para sentar-me e prender me ao passado
Oh mãe 24 anos e tudo corre mal,
eu grito o teu nome esperando que saias do caixão,
que salves este coração
que me chames atenção,
eu amo-te e não sei como irei me aguentar,
caminhos diferentes que percorri e sempre sofri,
fodass mãe porque a vida não me sorri,
pai eu estou destinado a tua miséria,
tudo o que queria era fugir da tua tristeza fugi de ser como tu,
mas eu sei que temos tudo em comum,
mesmo erros, mesmo temperamento,
mesmo felizes ficamos presos a outros momentos,
sentimos demais ó demais é pouco,
parecemos loucos que se enlouquecem aos poucos,
se ao menos pudesses sair do inferno,
tirar me deste inverno,
oh Deus que preenches misérias neste meu caderno....
Fecharam-se portas janelas abrem-se certo ?
então indica-me a janela mais perto,
porque eu sinto me desfalecer,
tenho fome e sede de felicidade e apenas vejo o sonho a desvanecer...
Não tenho aniversario nem funeral não nasci nem serei imortal,
porque para morrer é preciso se estar vivo...
Apenas me perco num caminho perdido,
que alguém apague o que tenho sentido,
porque já mais nada faz sentido,
começo a questionar o que faço aqui,
Pai, mãe longe de vocês,
longe de mim,
não sei o que sou, quem sou,não me reconheço no espelho nem no meu próprio som,
estou farto desta piedade sem dó... mudem me o tom!
 
Desabafo.

Adeus.

 
É complicado dizer adeus a pessoa que nos deu tudo e fez tudo por nós apenas porque chega a um ponto que temos de retribuir e afastarmos-nos para que elas possam ser felizes
 
Adeus.

Oceano de desilusões

 
O que eu dava por um tempo no tempo,
parar o meu pensamento,
clarear o meu pensamento.

inquestionavelmente estou imóvel,
as horas passam,
mas continuo atracado,
embora os ponteiros andem,
sinto me sempre parado.

Numa doca abandonada,
Buzino as estrelas,
Peço a Deus o meu naufrágio,
mas nem mesmo ele ouve a minha voz,
apenas eu e o oceano deixados a sós,

Como vim aqui parar ?
Com o mastro saturado de tanto navegar,
Com a proa danificada de ir contra a maré,
nem o bombordo parece ficar de pé...

Será a minha culpa ou será do amor ?
Será dos turbilhões,
As ondas levaram as minhas emoções,
sal queima nas feridas provocados pelo maior dissabor.

É como se tivesse a espera de ser abatido,
Encontrado e morrer sem numa ter vivido,
Porque fui o navio que percorreu o oceano,
para me perder nas tuas ondas,
para te dar todos os tesouros...

Como chegamos aqui ?
Eu devo dizer como cheguei aqui...
E ainda por cima sem ti....

A rosa dos ventos morreu,
As estrelas deixaram de aparecer,
o céu desvaneceu,
vivo numa tempestade sem me mover,
Sem necessidade de viver mas também não consigo ceder...
 
Oceano de desilusões

Se ao menos o amor fosse cego

 
Se ao menos o amor fosse cego,
eu não conseguiria ver as tuas mentiras,
cada vez mais me arrependo,
e cada vez mais és um contra tempo,
e se pudesse voltar no tempo eu apenas tirava este arrependimento,
amor a parte time ? nunca mais,
se te queria ao meu lado hoje sinto raiva por ainda te querer,
por isso acabou o falatório,
nesta relação onde o amor só vem de um lado,
tu não queres saber e isso é notório,
onde só havia amor,
hoje amo-te e por isso sinto ódio,
eu hei-de de seguir em frente,
chegará o dia que vou te ver desaparecer,
não restará uma sombra tua na minha mente,
e se eu quiser por um momento por voltar,
eu irei me segurar nem que isso me tire o respirar,
antes de amar alguem tenho que me dar establidade,
entao se é esta a nossa realidade,
eu aperto o cinto e ja nem importa o que sinto,
porque sentir nao te faz feliz
mas sim a pessoa por quem possuis o sentimento,
por isso paro neste momento,
respiro fundo,
fecho os olhos e digo te ÉS O MEU MAIOR ARREPENDIMENTO.
 
Se ao menos o amor fosse cego

Morte de um amor eterno

 
Mundo, meu mundo,
tantas voltas e reviravoltas,
tantas guerras, tanto sangue e tantas revoltas,
oh meu passado porque não voltas ?
Perdido num cigarro,
sem progredir nem saber como reagir,
como se a luz da esperança se apagasse,
como se nada mais a minha volta realmente importasse...
Eram duas crianças a morrer de amores,
chocolates, discussões sorrisos,
prendas e um monte de flores,
juras de amor, imagens de um amor eterno,
oh amor apenas me trouxeste o inferno,
Rastejando aqui por quem não merece,
numa guerra que apenas me arrefece,
a minha mente luta por quem o meu coração não esquece,
é o vazio da minha cama das minhas mãos,
é os meus olhos a entrarem em erupção,
amor eu só queria te a ti,
tu fazias tudo por mim como isto acabou por aqui ?
será mesmo o fim ?
sinto me mentalmente perturbado,
eu não consigo deixar de procurar por ti em todo o lado...
Eu cruzaria o universo só para isto ter o final inverso,
eu faria qualquer tipo de verso,
eu cantaria sem ter jeito para cantar,
eu gritaria até a voz acabar,
mas as palavras e atitudes parecem nada mudar,
mas amor eu sinto muito eu sinto demais,
eu perdi me demais,
eu chorei, lutei e eu não quero mais nada como te quero a ti,
mas eu vou reagir, vou te mostrar o que vais estar a perder,
eu faria tudo por ti, não duvides que faria
mas o meu mundo ainda não perdeu toda a sua magia,
eu faria tudo menos me matar não te tendo,
e sinto me a morrer,
a pensar no que poderia ter sido,
se tivesse nada acontecido,
eu sou um guerreiro e guerreiros podem sofrer mas morte só vem depois do ultimo suspiro,
por isso esta é a carta que nunca irás ler,
a despedida que nunca irás ter,
esta é a desistência de nós e a luta por mim
Obrigado pelo o que passamos e para mim agora também será o fim.
 
Morte de um amor eterno

E se eu me quebrar ?

 
E se eu me quebrar ?
Se eu amar e voltar amar,
se eu gostar e lutar
e se eu voltar a sorrir e no final me quebrar ?
Pouco tempo atrás estava no chão,
encontrei uma razão,
mas estarei eu disposto a dar o meu mundo e poder ir ao fundo ?
Só queria sair daqui por um segundo,
dar a voltar ao mundo,
ok, se calhar não chegaria um segundo,
para fugir o suficiente deste mundo...
 
E se eu me quebrar ?

Saudades de quem se foi

 
Numa carta embrulhada numa lágrima,
Num livro já relido, procuro por ti em alguma pagina,
Tento reviver momentos que não voltam,
Esquecer a revolta que apenas as lágrimas mostram,
dói por dentro, vê se por fora,
a minha mente implora, o meu coração chora,
Preso em memorias que impendem novos momentos,
eu sei que deveria ser melhor, que não deveria prender me em tormentos,
a vida é uma constante de inconstantes,
as vezes penso que para ser feliz tenho de ser como os ignorantes,
Não sentir o que dizem, o que acontece,
nem mesmo perceber quando escurece ou amanhece,
porque se não for ignorante nunca posso aceitar o que destino tece,
porque não sou forte e estou farto de disfarçar,
porque eu só queria ter aquela pessoa para abraçar,
juro-te que um dia vou te homenagear tatuarei o meu braço como tatuaste o meu coração,
eu sei que foi mal mas nada foi em vão
eu culpei te, eu maltratei mas sem razão,
acusei-te de abandono quando não tinhas escolha,
foquei me apenas numa caneta e numa folha,
comecei a desabafar entre linhas quando acabava,
dividia o papel em pedaços rasgados,
apenas para ninguém ler os meus pecados,
as saudades dos momentos passados,
e se hoje estou em baixo não é porque quero,
apenas porque ainda te amo e ainda te espero,
mesmo que seja impossível é o meu propósito,
e o que enche de gasolina o meu deposito,
porque sem essa esperança ia doer, roer, corroer,
iria ser impossível viver e improvável sobreviver,
o mais natural seria eu desaparecer,
mas a esperança de te encontrar noutra vida,
de por ti manter a cabeça erguida,
e mater te imortal neste mundo é o que faz me levantar quando vou ao fundo,
quando estou perdido é isso que me faz encontrar o rumo,
triste pelo o que perdi, orgulhoso pelo o que tenho,
mas se ao menos pudesse juntar tudo num desenho,
e viver num retrato eternamente, vivendo tudo repetidamente,
se pudesse juntar o melhor do passado com o melhor do presente
seria como viver num mundo perfeito construído pela minha mente
 
Saudades de quem se foi

Desabafo de amor com uma caneta

 
Estou farto minha caneta,
Fala comigo dizia ela,
eu nao sei o que faça por ela,
tudo o que queria e ver me ao lado dela,
parece que tudo o que faço esta errado,
tudo o que temos passado,
não fui o suficiente,
não fui permanente,
e todos os momentos presos na minha mente...
Calma dizia a minha caneta,
CALMA ? COMO CALMA
perdi-a, menti e perdi metade de mim,
oh meu Deus como ter calma,
como sequer respirar,
Não me digas para acalmar,
não me digas para lutar,
não me digas para me afastar,
a minha cabeça tem tantas soluções,
e nenhuma delas são decisões,
num turbilhão de emoções e zero de noções.
Fodasss eu quero e não sei se aguento,
eu quero mas se foi com o vento,
eu não quero mas não sei se aguento,
como me lembrar de esquecer se lembrar já é relembrar o sentimento ?
como falar sei dizer o que sinto,
como manter uma amizade,
se sinto e se não digo fica uma conversa inacabada,
diz me como manter esta "APENAS" AMIZADE DE FECHADA
diz me o que faça porque já não sei de nada,
RESPIRA
Como respirar caneta, eu estou a delirar,
eu só queria estar longe daqui,
em qualquer outro lugar,
bem longe num sitio onde o sentimento não poderia afectar
mas não existe nem aqui nem noutro universo,
e cada vez que não lhe digo que a amo é um inferno,
Fodasss para ti caneta, fodass para este caderno,
Fodass a escrita,
não sou poeta nem tu és minha amiga,
tudo o que fazes é passar memorias más para entre linhas,
lembrares me de antigas relembranças minhas.
 
Desabafo de amor com uma caneta

" E se o meu coração hoje bate por ti, bate em vão"

 
Amor, promessas e tantas juras,
não foi pela não realização delas,
foi por minha culpa honestamente,
fiz de ti o meu chão,
e confiei completamente,
eras a minha razão,
eu tinha te como a minha força,
mas um dia te foste e foi tudo em vão,
chorei e gritei,
sofri e nunca sorri,
passei por coisas que nunca passei,
ai reagi e me levantei,
consegui me erguer,
consegui viver sem nunca te esquecer,
as noites e tardes que não comia nem dormia,
os sonhos que me assombraram,
eras a luz que me seduzia e conduzia,
aprendi a brilhar na noite mais escura,
quando estava deprimente eras a minha cura,
mas não estavas la e eu tive de sofrer era uma questão de sobreviver ou morrer,
quando te perdi perdi me a mim,
mas encontrei me agora,
AGORA QUE PASSEI POR TUDO,
QUE FIZ DE MIM O MEU MUNDO,
que isolei o meu coração no canto do universo,
protegido por cem batalhões,
contra confusões e ilusões,
contra tsunamis e furacões,
eu amei-te e tiveste zero de noções,
pedi uma oportunidade e deixaste me senil,
com o coração e a mente andar a mil,
hoje que finalmente sorriu,
hoje que sou forte por mim,
queres que pense em ter algo no futuro ?
como queres que pense nisso sequer ?
depois de lágrimas e mil textos em duas mil paginas,
depois de afogar as magoas,
queres ser o meu chão quando sei que enquanto for o meu jamais me derrubarão,
queres entrar na minha vida quando foste tu a decidir a tua saída...
todavia eu lutava e ainda sofria,
e dizia te que te amava e tu continuavas com o teu silencio enternecedor,
então diz se fui pecador que atitudes são estás ?
Serão de amor ?
Abandonar, desistir e agora voltar ?
Ha oportunidades que nunca voltam,
Ha tentativas de felicidade que só nos derrotam,
Demasiados porquês para no fim usar outra vez um era uma vez.
 
" E se o meu coração hoje bate por ti, bate em vão"

Desabafo.

 
fazem meses minha caneta que larguei esta minha dependência,
cabeça erguida mas em decadência,
porque caio eu com tanta frequência ?
eu pensava que me poderia voar,
atirei me de um arranha céus direito para o chão,
asas minhas que não batem,
coração que não bate apenas estremece,
minha escrita que apenas escurece,
eu estou a cair.
Sem sinais para seguir,
sem caminho para perseguir,
Apenas desespero para desistir,
lágrimas apenas dizem que não posso mais resistir.
estou a franquejar eu sinto muito mas muito é pouco para o que sinto,
eu só queria pertencer ao teu lado,
para sentar-me e prender me ao passado
Oh mãe 24 anos e tudo corre mal,
eu grito o teu nome esperando que saias do caixão,
que salves este coração
que me chames atenção,
eu amo-te e não sei como irei me aguentar,
caminhos diferentes que percorri e sempre sofri,
fodass mãe porque a vida não me sorri?
pai eu estou destinado a tua miséria,
tudo o que queria era fugir da tua tristeza fugi de ser como tu,
mas eu sei que temos tudo em comum,
mesmo erros, mesmo temperamento,
mesmo felizes ficamos presos a outros momentos,
sentimos demais ó demais é pouco,
parecemos loucos que se enlouquecem ainda mais aos poucos,
se ao menos pudesses sair do inferno e
tirar me deste inverno,
oh Deus que preenches misérias neste meu caderno....
Fecharam-se portas janelas abrem-se certo ?
então indica-me a janela mais perto,
porque eu sinto me desfalecer,
tenho fome e sede de felicidade e apenas vejo o sonho a desvanecer...
Não tenho aniversario nem funeral não nasci nem serei imortal,
porque para morrer é preciso se estar vivo...
Apenas me perco num caminho perdido,
que alguém apague o que tenho sentido,
porque já mais nada faz sentido,
começo a questionar o que faço aqui,
Pai, mãe longe de vocês,
longe de mim,
não sei o que sou, quem sou,não me reconheço no espelho nem no meu próprio som,
estou farto desta piedade sem dó... mudem me o tom!
 
Desabafo.

Como posso por isto em papel se doí demais ?

 
Como posso por isto em papel se doí demais ?
eu não sei sentir pouco,
eu sinto demais,
pareço um louco...
Se eu desabafar com alguém vão me achar maluco,
eu não acho que eles não compreendem,
só quero espaço e sinto que todos me prendem,
as paredes parecem se encurtar,
o sol parece me sufocar,
as estradas que percorro apenas servem para me perder,
minto num sorriso mas só queria ser honesto,
amo o que tenho mas serio que se foda o resto,
queria que fosse ok dizer que não estou ok,
mas se fosse libertar tudo o que penso,
tudo o que guardei aqui dentro,
acho que ninguém me entenderia nem por um momento,
eu amei e amei e perdi,
eu sorri mas nunca esqueci,
aos poucos o mundo foi descolorando,
aos poucos me fechava isolado e ia chorando,
oh que dor não quero mais saber do amor,
quero um dia sem sentir,
quero esquecer quem perdi,
quero esquecer tudo o que senti,
que vida é esta que testa quanto eu aguento ?
ohh meus demónios saiam por um momento,
estou a beira dum colapso,
eu só vejo o mal e o fracasso,
eu não consigo ver mais bem na humidade,
todos tem desculpa para a sua criminalidade,
será que sou o único que doí de verdade ?
serei o único a sentar me a noite a pensar e repensar a lutar a chorar e a me fartar desta rotina enfadonha,
sou o único que tem medo da almofada,
porque sonho com nada,
mas pesadelos, oh pesadelos,
eu abro os olhos mas continuo a vê los,
eu vejo os meus sonhos a morrerem,
todos os dias sinto me a perder parte de mim,
oh dor por favor chega ao fim,
porque se a vida é uma construção tu não tens a noção mas só vi destruição,
no momento que nasci tinha pais e uma família de aparência,
hoje vivo sem eles e perdi toda a minha inocência,
guerras para ver quem ficava com o dinheiro,
eu nem tive o meu luto,
que se foda o monetário,
que se foda eu por ser otário,
era vossa filha irmã, era o vosso filho e nos vossos netos,
separados, magoados e revoltados,
mas vocês viraram as costas,
e ainda hoje pagamos contas que não existem,
levem me o dinheiro todo eu não persisto,
mas eu desisto, LARGUEM ME POR UM SEGUNDO EU DESISTO,
e que se foda o ordenado que parece uma gorjeta,
enquanto eles andam com topos de gama,
eu saio do trabalho e só quero me enfiar na cama,
até estudar é pago quando estrangeiros são pagos para estudar,
que crimes é este que nem de nos sabemos cuidar,
que raio de Portugal,
que raio de pais mais banal,
mais preocupado com o que pensam do que fazer bem aos portugueses,
que mal fiz eu ao estado se desconto tantos meses ....
E é esta a vida que me persegue,
fecho os punhos e preparo para a batalha mas as guerras são perdidas,
e chega ao ponto que poderia enterrar esta capital só com as lágrimas caídas...
 
Como posso por isto em papel se doí demais ?

Saudades tuas.

 
 
Um disseste que não pretendias sair,
um beijo na testa,
é apenas mais um dia maravilhoso,
não importa o quanto fosse ventoso,
não importa a escuridão pousavas a minha mão no teu coração,
mesmo sem esperança encontrava o meu caminho,
fizeste me andar, correr e lutar,
agora não sei fazer isso sozinho,
a dor da perca como aguento,
merda... leva me este tormento vento,
leva este momento... merda esta dor moí por dentro,
hoje sou uma vela apagada num pátio,
de feliz a melodramático e isto mantém me estático,
merda de vozes calem-se é só mais um copo mais um cigarro para as apagar,
mas elas intensificam,
não me consigo esconder, não consigo fugir,
dei te o meu mundo para tu colorires,
hoje não estas e as cores se foram,
não me encontro estas canetas são as lágrimas que os meus olhos não choram,
merda mais uma vez merda para isto,
não te dei valor mãe e agora que penso nisto,
amo-te e não estas cá para ouvir e eu tenho de te dizer a minha vida depende disso,
Onde estas agora para me levantar,
eu caio de propósito a espera da tua mão mas não a consigo encontrar,
merda espetem me uma bala no peito,
merda que fiz eu, porque partiste tu,
poderia ser qualquer um,
poderia ser eu mas nunca tu...
Não percebo... merda para o vosso Deus,
merda para o adeus,
merda para as noites que rezai,
merda para o que passei,
Sou ateu e se acreditasse odiaria repugnaria
e para mim se não te tirou a vida ficou quieto e se tivesse oportunidade o mataria,
eu trocava mil palavras por uma tua,
eu percorria mil e uma ruas só para ver o teu rosto nem que fosse na lua,
eu trocaria o resto dos meus dias por um contigo,
apenas para te dizer o que não disse,
fazer o que não fiz,
merda... fui tão feliz...
merda isto não foi nada do que quis,
as vezes tenho vontade de esquecer,
mas no dia que te esquecer é o dia que assumo que desapareceste e eu te tornarei imortal mesmo que acabe comigo,
hoje não sou um ser social,
fecho me e tranco me sozinho com o meu próprio ódio,
e cada noite é mais um episódio catastrófico...
queria viver por ti como se vivesse pelos dois,
mas como posso viver agora assim ?
lembrando como foi antes como posso viver o depois ?
Amo-te mesmo que isto me deprima,
e se um dia ceder a tentação espero que estejas do outro lado para me estender a mão...
 
Saudades tuas.

A dor da perca

 
Fechado entre quatro paredes,
questionando me para onde vou,
sinto tudo a se fechar,
apertar mal consigo respirar,
a mente passa flashes de outros tempos,
sufocando e mal consigo respirar,
estas saudades estão a dar cabo de mim,
eu tento lutar mas não consigo,
oh mãe porque não continuas comigo,
o relógio não para,
o meu coração não sara,
e tudo parece uma tortura,
sem ti aqui o mundo de magia tornou se num de amargura,
eu tento livrar me desta dor, raiva de Deus,
mas ela perdura,
nunca pesei que o meu coração me impusesse esta tortura,
e quando mais persigo a felicidade mas me enterro,
quanto mais esqueço mais me lembro,
Eu quero gritar, chorar, fechar os punhos e lutar,
eu quero esfolar matar, eu quero reagir mas estou preso se reacção
pareço um corpo apenas um fantasma sem Direcção,
a tua partida tirou me demais,
já não consigo mais com estas merdas sentimentais,
eu quero sair daqui,
para longe de todos, quero fugir do mundo,
quero fugir de mim,
mas eu persigo não consigo fugir nem esconder,
eu não vivo parece que estou ligado a um suporte de vida,
o que eu daria apenas por uma saída,
se eu pudesse viveria apenas no passado,
porque eu não sou nada sem te ter ao meu lado.
 
A dor da perca

Mãe

 
Esta tanto silencio,
Esta casa não tem mais o brilho que teve,
oh mãe,
hoje os flashes não param,
as feridas se abrem,
tantos que por ti choraram,
só quero que estas feridas sarem,
quero o teu abraço e não tenho,
por favor não consigo encontrar-te
sem ser em fotografias,
oh memorias tão quentes que agora são tão frias,
onde estás tu neste dia,
onde esta o teu sorriso,
pois ele é a minha alegria,
fascinado pelo passado,
peço te que protejas me hoje e no futuro,
se a minha força,
se a minha luz que me ilumina,
se o anjo para mim e para a tua menina
tu eras tão especial a tua maneira,
tu nunca me mentiste,
eras tão inocente e verdadeira,
lembraste das más noites que ias até a minha cama e me abraçavas,
dizias que me amavas,
eu lembro-me mesmo meio a dormir,
eu tenho de parar de sofrer,
tenho que te lembrar com um sorriso,
porque eu tive tudo,
e tu foste o meu tudo,
tu és o meu tudo,
e sorrir porque um dia tive-te no meu mundo,
não importa se foste cedo,
se partiste sem uma despedida sentida,
serás insubstituível,
todo o tempo que passei contigo não o mudava por nada,
gostaria de te poder tido por mais tempo
mas mãe não trocava poder ter outra pessoa por mais tempo,
prefiro o pouco que passei contigo,
és a mulher da minha vida,
tu percorres as minhas veias,
o meu pensamento,
e eu prometo que te manterei viva até o dia do meu funeral,
tu eras tão fenomenal,
e mesmo hoje me deixando mal,
mesmo que me traga abaixo,
eu irei me erguer,
mãe obrigado pela vida, pela a luta,
por estares ao meu lado,
porque acreditares quando todos tinham duvidado,
obrigado por tudo que me deste e me tens dado,
hoje congelam me as as pernas e as mãos,
mas eu não me iludo,
ainda estou de luto,
mas não te quero perder da minha memoria,
não quero esquecer,
eu aprenderei a viver com elas em harmonia,
porque eu ainda te sinto aqui,
bem viva dentro de mim.
 
Mãe

A sua historia...Guardada na minha memoria

 
Ele sentava-se naquela cadeira,
abraçava os seus filhos e beijava a sua mulher,
ele sabia o que era viver,
ele era humilde e super protector,
ele era mestre do rancor mas também do amor,
ele era o monstro mais diabólico com um coração melhor do que um anjo,
Ele trabalhava e suava por dias e dias,
apenas para comprar prendas,
apenas para ser ele o culpado de tantas alegrias,
mas um dia ele tirou a cadeira do sitio,
ele levou a para a frente da janela,
sentou-se sozinho com um punho serrado,
com um olhar tão desesperado,
ele esperou que todos fossem dormir,
não falou não comeu e não se deitou na sua cama,
a manha chegava ele não se queria levantar, chorava e gritava,
o dia continuou para os seus filhos e mulher,
ao anoitecer voltou o dia de ontem a acontecer,
as estrelas perderam o brilho a lua já não iluminava, ele via tudo a desvanecer, e quando tudo se deitou ele se levantou,
ele saiu de casa e não voltou até a próxima noite,
Ele estava diferente dizia que perdeu o emprego com poucas palavras e distante,
e o mesmo aconteceu durante semanas e semanas,
ele voltava sempre com as pupilas dilatadas,
muitas vezes com as mãos machucadas,
ele não suportava a sua família sentia-se um falhado, ele tinha o apoio mas sentia que não tinha ninguém ao lado,
então procurou a cura na droga, foi uma vez,
outra vez e outra vez e ninguém reparava,
mas um dia a sua mulher se levantou e la estava ele,
a por Deus sabe o que no corpo dele,
ela correu a chorar a implorar " por favor tens de parar "
ele empurrou-a magoou a mulher com quem vivia,
ela não suportava vê-lo a se destruir e tentou o impedir,
ele ficou violento, agressividade na sua grande monstruosidade,
o seu filho espreitava chocado ele gritava para, para por favor para,
ele olhou para ele e parou,
o filho viu a separação e a destruição,
mesmo com isto tudo mesmo perdido,
ele sempre se mostrou arrependido,
ele tentava compensar o seu filho e filha para não se lembrar tudo o que tinha acontecido,
mas ele estava em baixo homem forte que não encontrava a subida apenas se deixava estar a beira da vida,
ele tornou-se o seu inimigo a consciência o molestava, maltratava coisa que só a droga o curava, e ai a sobriedade voltava, e ele arrependia-se do que fez e da cura que usava, e voltava a usar dia após dia sentia se melhor e depois pior,
aflição, destruição o mundo dele em erupção
ele não aguentava, ele partiu todos os espelhos porque não se suportava,
e no dia que deixou de usar foi o dia que deixou de respirar,
Suicidou-se mas de forma pensada mas também desesperada...
A mulher e mãe dos seus filhos tinha o perdoado mas não foi suficiente,
os filhos pequenos não tinham idade para compreender os seus comportamentos,
mas eu seu filho penso nele em todos os momentos,
nunca te odiei e sempre te amarei...
Não estas aqui mas eu irei te imortalizar é a única coisa que posso fazer para te ter presente,
Amo-te incondicionalmente!
 
A sua historia...Guardada na minha memoria

A dor de perder alguem

 
Sinto me impotente, incompetente,
E será assim por mais que tente,
Não consigo o que quero,
e não terei o que espero,
Porque as idas ao passado é impossível,
E ser feliz sem ti não é possível,
Eras a minha heroína, eras o meu clima,
parecia que sairias sempre por cima,
porque te foste? Porque abandonaste este traste?
peço te por sinais,
será que não me ouves ou não os vejo?
diz me, porque eles são o meu desejo,
porque eu não durmo eu não espanejo,
só para ver se os vejo,
não me importa como vêem me por sentir isto,
por ter 21 anos e ainda pensar nisto,
mas se isto faz de mim menino da mãe então é o que sou,
e não vou mudar o que nunca mudou,
eu quero te do meu lado, sai do lado de deus,
desce do céu porque dói demais este adeus,
porque deixaste a doença te vencer?
porque te deixaste morrer?
porque é que eu não te esqueço?
passado 14 anos ainda vivo atormentado,
tenho sido maltratado chutado,
mas tenho suportado mas não ter do meu lado,
é demais para apenas me passar ao lado,
eu estou de alma perdida num beco sem saída,
Berrando pelas tuas palavras,
Pedindo para voltares se realmente me amavas,
Porque eu amo-te mãe, não consigo te ver no cemitério,
não consigo acreditar por isso terás de me perdoar por não te ir visitar,
porque não tem nada a ver com o amor mas sim de não suportar a dor,
quero acreditar que é mentira e vais passar por aquela porta e eu serei o único a dizer que era o único acreditar que não estas morta.
 
A dor de perder alguem

Deixa acontecer

 
Nada começou como esperado, e acabou com cada um de nós para cada lado...
Ainda sinto o desejo de te aconselhar mas jamais serei ouvido e a raiva ou magoa que sintes e trasmites quando me falas e demasiada...
Eu sei ja andei nessa estrada... eu estou mal e tu ainda nem ficaste ... e sei o que estas a passar e como irá acabar mas para aprendermos temos de cair e perder, talvez esteja eganado mas nao acho que seja o caso...
Estas feliz com uma ideia mas nem por isso pensas casas a frente e se sempre me enganei em relação a ti nunca me enganei em relação aos outros... por isso vou tranquilo com um sentimento de injustiça, ja chorei ja berrei ja me mal tratei pelo o quanto errei...
Agora é tempo de sarar e continuar... aos poucos os desastres vão acontecendo e a procura do teu apoio vai desaparecendo e aos poucos o amor próprio vai reaparecendo e aos poucos vou vivendo...
Nunca te vou esquecer mas também também nunca o iras saber... num altos e baixos depois de ser roubado e espancado e tu nao estares do meu lado ... mais uma vez na escuridão esperei por ti e vi solidão chamei por ti mas ignoraste... bem ao menos agora tenho alguem que se preocupa que nao me faz sentir só... nao digo que estou apaixonado mas ao menos nao me sinto mais isolado... e mesmo que desta "amizade" nao saia nada ao menos sabemos que ambos sabemos que nao iremos a qualquer lado.
 
Deixa acontecer