https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de IsabelRFonseca

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de IsabelRFonseca

🌻SALVA-ME DOS ESPINHOS

 
🌻SALVA-ME  DOS ESPINHOS
 
Salva-me dos espinhos
Que as flores têm
Quero guardar-te
Quero esperar-te
Abrir-te a minha alma
Contar- te um segredo
Que vive dentro
Do meu coração
Salva-me
Entre as palavras
As lágrimas
Que a vida me dá
Num céu cheio
De estrelas
Tão luminoso
Onde os meus olhos
Pesam, calam, doem
Salva-me meu amor
Quebra todas as correntes
Que não me deixam amar-te
Salva-me 🌻

🌻
Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
🌻SALVA-ME  DOS ESPINHOS

🦋 AS LETRAS SÃO PAPEIS

 
🦋 AS LETRAS SÃO PAPEIS
 
__As letras são papeis
Que ignoram os meu gritos
Gume afiado nas horas do desespero

Cortam as palavras escritas em silêncio
Onde perdia a memória no caminho
Que tento percorrer nas fragas de musgo

Noites sentidas na alma quando chegas
E te invento no vento entre os tormentos
Nos despojos quando a chuva aparece

Tu apareces cheio de fogo nos olhos
Nas flores, sardinheiras que nascem
Pelas letras de papel já secas
🦋

🦋
Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
🦋 AS LETRAS SÃO PAPEIS

🌷"FLORES DESPIDAS"

 
🌷"FLORES DESPIDAS"
 
Quando eu morrer não digas a ninguém
Partilha comigo alguns minutos
Uma noite inteira. Cobre o meu corpo
Frio com um lençol branco
Quando eu morrer recita um soneto, um poema
Que escrevi, talvez o tenha
Escrito para ti, fica junto de mim
Quando eu morrer
Deixa-me ver mais uma vez o mar
Promete-me que não choras
E nem tocas com a tua boca
Os meus lábios frios
Promete-me que lanças a tua solidão
A tua dor, as tuas lágrimas
Para um poço profundo
Sem olhar para trás
Que cuidarás das nossas flores
Quando o vento e a chuva chegarem
Serei o teu anjo da guarda
E todo o meu amor brilhara em ti
Quando eu morrer estarei eternamente
Presente no teu coração
Continuarei a viver no teu pensamento
Com amor e saudade.
Quando eu morrer por favor
Não digas a ninguém que eu parti
Que parti como as flores despidas, despidas pelo vento.🌷

🌷
Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
🌷"FLORES DESPIDAS"

💖AS MÃOS DA MINHA MÃE 🌺

 
💖AS MÃOS DA MINHA MÃE 🌺
 
As mãos da minha mãe
São macias e poderosas
De firme esperança

As mãos da minha mãe
São suaves de carinho
Enrugadas de carícias

As mãos da minha mãe
São presença lembrada
Das saudades que sinto

As mãos da minha mãe
São o rosto despido dos anos
Dos dias vividos de coragem

Das mãos da minha mãe
Sinto falta, sim de tudo
🌺


Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
💖AS MÃOS DA MINHA MÃE 🌺

VEM VER-ME ❤

 
VEM VER-ME ❤
 
Vem ver-me neste pôr do sol
Olhos que veem a luz
Vem poisar comigo
Nesta manhã solarenga
Na cabana perdida entre a serra
Abraça-me com as tuas mãos
Dá-me o carinho do teu corpo
E lê o silêncio das palavras
Que se calam nas linhas que não digo
Sente a ternura, o desejo
Que o meu corpo sente de ti
Ao encontrar a tua quente pele
Confunde-me já neste nosso desejo
Antes que o sol se esconda na serra
Ao encontro com o mar num apertado laço.

❤❤


Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
VEM VER-ME ❤

SÓ O PERFUME DAS ROSAS 🌹

 
SÓ O PERFUME DAS ROSAS 🌹
 
Plantei um jardim
De belas rosas
Para colhê-las contigo
Todas as manhãs 🌹

Só o perfume das rosas
Tiram todas as dores
Tatuadas na minha alma 🌺

Remendo com as rosas
Todas as cicatrizes
Que ficaram rasgadas
No meu coração 💕

💖
Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
SÓ O PERFUME DAS ROSAS 🌹

QUE DOLOROSA CASA🌻

 
QUE DOLOROSA CASA🌻
 
Que dolorosa casa é esta a minha
Um leito que te recebe óh morte
Dos meus, com os teus sonhos intactos
Resina no tecto do orvalho na ponta do gume
No regresso de uma furiosa adolescência
Onde a morte se fundirá com os sonhos
Arado de estevas do espinho de uma rosa
Hei-de abrir os meus olhos às lágrimas
Que deixaram a morte sem o primeiro aviso
Embalar a brisa do outro lado do mundo
Como um caçador que na volta do caminho
Reconhece o seu rasto no trilho de pedras
Pertence à geografia, ao lume, ao fogo, sem destino
Que dolorosa casa é esta a minha que te recebe óh morte
Dos meus, dos teus sonhos intactos
De uma furiosa adolescência!

🌻
Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
QUE DOLOROSA CASA🌻

NADA PERTENCE

 
NADA PERTENCE
 
 
NADA PERTENCE

Nada me dói mais do que a própria dor
Nada me pertence nesta maldita terra
Nada me afoga nesta areia do deserto
Nada é por culpa deste meu cansaço
Nada é do silêncio da minha pobre alma
Nada me faz sofrer nesta bendita vida
Nada é ou foi deixado ao acaso
Nada é mais doloroso do que a solidão
Nada há de apagar as rugas do meu rosto
Nada se sente, nada se apaga da mente.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
NADA PERTENCE

PONTOS, VÍRGULAS

 
PONTOS, VÍRGULAS
 
A dor do meu peito
mastiga todos os livros de poesia

O amor que sentia
lambia as palavras entre os pontos

A saudade lembra-me
as vírgulas escondidas das letras

A dor do meu peito
já comeu todos os livros de amor.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
PONTOS, VÍRGULAS

LÍRIOS E ROSAS

 
LÍRIOS E ROSAS
 
 
No peito saltam as pétalas de lírios
Sei que secaram o musgo
As trepadeiras
Onde nutrem as palavras desfolhadas
Das carícias do vento
Dos beijos
Feitas, refeitas dos sentidos esquecidos
Perfume das rosas
Plantadas no deserto
Sede que se mata de palavras
Em cada manhã
Estremeço com o teu cheiro
Respiro a tua alma
Na ponta dos meus dedos
Invento as tuas palavras
Como me fazes falta
Quando a solidão me procura à noite
Simples melodia da tua voz
Que encharcaram os ouvidos
No peito saltam pétalas de lírios
Adormeço meu amor
No aconchego de um colo que conheço, o teu.

🌹
 
LÍRIOS E ROSAS

OLHARES 💕

 
OLHARES 💕
 
Olhares se cruzam, corpos se abraçam
Soltam gemidos, lançam sorrisos
Corpos unidos que as escuras se encontram

Deleitam-se num iluminado amanhecer
Turbilhão de emoções dentro da paixão
Letras incendiadas de sublimes momentos

Sonhos vazios que às escuras encontro
Ondulação amálgama nos pensamentos
Jasmim transparente perfumado no quarto

Sublime lençol de cetim à porta do atrevimento
Olhares que se cruzam inebriados de prazer
Corpos que se abraçam num livre sentimento

Luminoso sonho entre as rosas floridas
Solta o pejo nas pétalas levadas pelo vento
Num amor sentido nas palavras não ditas

Ama-se com força nos olhares que se cruzam💕

💕
Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
OLHARES 💕

TERRA QUEIMADA 🐺 🐾

 
TERRA QUEIMADA  🐺 🐾
 
 
Foge de tudo que lhe faz sofrer
Nesta terra queimada que é a sua
Solidão imposta pela crueldade humana
Escondido entre as fragas da serra

Não lhe vale o instinto animal
Quando lhe falta o sustento
E a luta é mortal e desigual
Como o fogo do firmamento

Mas sente que nada pode fazer
Não ser voltar a começar
Nesta luta imposta pelo homem
Volta a terra queimada que o viu nascer

E que foi despejado pela cobiça
Da terra que outrora era sua
Levando-o a uma vida submissa
Enquanto lamenta-se para a lua…

🐺 🍁🍂

🐾

Isabel Morais Ribeiro Fonseca
José Coimbra

🐺 🍁
 
TERRA QUEIMADA  🐺 🐾

AMOR 💖

 
AMOR 💖
 
 
Sabes durmo contigo
Meu amor
Profundamente apaixonada
Mas isso tu já sabes
O meu coração
Canta e transborda
De tanta emoção
Por te ter a meu lado
Tu és quem pinta
O meu mundo de mil cores
De mil sabores
Dorme comigo meu amor
Tu sabes todos
Os meus segredos
Que vivem agarrados
Em mim de ti.
❤️

❤️
É na escrita das letras
Que elas fogem de mim
Onde escrevo com o desejo
Com a paixão que sinto por ti
Já na ressaca das palavras
É que me lembro que as escrevo
Só por instinto de mim em ti.

🌷
Amo-te nesta manhã
Querendo morrer
Como se nada existisse
Neste instante

💘

Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
AMOR 💖

💕 VOU LER-TE

 
💕 VOU LER-TE
 
Vou ler-te num livro
Folhear as memórias
Nos dias de sol ou chuva
Vou ler-te em saudades
Entre a primavera e outono
Em qualquer página
Vou ler-te nos livros
Que a minha alma procura
Entre o remédio da minha loucura
Vou ler-te por entre lágrimas
E de tantas lutas e vitórias
Vou ler-te num jardim
Para me vestir de rosas
Entre os silêncios
Vou ler-te em poesia
Para florimos em amor
Neste desejo sentido por nos.

💖 🌺

Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
💕 VOU LER-TE

VINCOS NOS LENÇÓIS

 
VINCOS NOS LENÇÓIS
 
Tenho fome de ti em mim
Na alma de um figo ou tangerina
Malagueta de todos os começos
Eu sou um pétala, tu um jardim
Enquanto dormes observo-te
Nas horas que me doam a tua pele
Amo as formas do teu corpo
Fogo dos olhos que em mim circula
Beberia da tua boca tolas palavras
Caminharia ao teu lado, por caminhos
Escuros de neblina entre abismos
Ficaria grávida de amor, todos os dias
Num verbo ouvido que seja eterno
Onde deixas sempre uma parte de ti comigo
E eu volto para reencontrar-te no meu colo
Fome de ti com o teu cheiro nos lençóis
Desnorteio-me nos vincos de todos os teus gemidos.

🌼
Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
VINCOS NOS LENÇÓIS

BEBO DESTE MAR

 
BEBO DESTE MAR
 
Bebo deste mar salgada água
Para não me afogar deste veneno
Que a vida me dá, trazendo-me a poesia
Na alma dilacerada no peito pelos desígnios
Inventados pelas almas que gritam
Na indistinta e confusa mente de cada um
Onde engole o sal na penumbra, consciência
Do que somos ou seremos neste mundo
De veneno, de desassossego, de inquietação
Dói-me qualquer sentimento que desconheço
Escrevo estas linhas, dou-me por insatisfeito
Pelo cansaço de todas as minhas ilusões vividas
Pois perco a razão, o pensamento desta minha
Doente mente sem vergonha de não ser intelectual
No corpo como uma forte náusea no estômago

💘
Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
BEBO DESTE MAR

"LINHAS TORTAS"

 
"LINHAS TORTAS"
 
Rua deserta
Beco quieto
Linha vazia
Calçada a portuguesa
Chuva de lágrimas
Jardim inacabado
Candeeiro sem luz
Altar sem cruz
Igreja sem sino
Pessoas sem destino
Futuro sem esperança
Janelas partidas
Viver sem lembrança
Olhar perdido
Adeus mudo
Vento forte
Tempo esquecido
Despedida cruel.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
"LINHAS TORTAS"

AMOR DE FRUTOS VERMELHOS

 
AMOR DE FRUTOS VERMELHOS
 
 
AMOR DE FRUTOS VERMELHOS

Amo-te agora, depois, logo, sempre
Entre os frutos vermelhos do bosque
Não interessa o lugar, nem a hora
Morangos, framboesas, mirtilos
Com a certeza, da fome do meu ser
Alma inquieta, vontade opressora
Eu, tu, nada, ninguém mais existe
Somos o fruto do desejo da entrega
Amoras, cerejas, groselhas, melancia
No abraço firme que nos aconchega
Boca de lábios mordidos, de amplos beijos
Na troca de fluidos, nas carícias ocultas
Mãos inquietas, que revelam os desejos
A força, a vontade de querer amar-te
No desejo tão nosso que nos seduz
Amam-se sem segredo, sem medo, pelo encanto
Onde as almas que brilham, ocultas no tempo
Não é apenas sexo ou corpo, é sim um amor verdadeiro
Amo-te agora entre os frutos vermelhos do bosque.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
AMOR DE FRUTOS VERMELHOS

PEDRAS GELADAS🌹

 
PEDRAS GELADAS🌹
 
São nas pedras geladas
Que te escrevo com alma
No chão onde fiquei
Onde me deixaste esquecida
De mim ou de ti
Nada ficou além de imensos vazios
Amor vivido com intensidade
No meu coração feito em prisão
Corrompido pelas pedras frias
Entrego-me à vida perdida
Pelas ruas de fragas frias
Minto se disser que não sofro
Nesta amputação imposta
Deste sonho quase como pesadelo
Para secar-me a esperança desejada
Maldita dor, maldito amor, maldita vida
Malditas estas pedras frias
Que me deixaste sozinha
Onde escrevo com todo meu fervor
Todas as madrugadas para te tentar esquecer.🌹

🌹
Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
PEDRAS GELADAS🌹

🌺 “MENINO

 
🌺 “MENINO
 
Meu menino Jesus que neste Natal
A luz penetre na nossa alma
E no nosso coração

Como uma brisa de inverno
Morna de esperança
Adormecida em folhas secas de ilusões
Medos, indiferença, desespero, solidão
Inverno perfumado com ternura

Alegria despertada já esquecida
Em lamúrias, dores, queixas, falta de fé
Silencia-nos deste caminho sem distrações
Sem receios, sem defesas

Abraçar o nosso encontro
Com o coração aberto
Nas manhãs risonhas e das noites felizes
Um Santo e Feliz Natal...a todos”

“Quando crescemos
O que mais desejamos no Natal
Não se pode comprar”

🙏👼 🌺

Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
🌺 “MENINO

╭✿ ♥
Não me considero poeta
Descobri escrevendo por acaso