https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de gobriel

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de gobriel

Estou aqui para desenvolver a fluidez do ser.
Quem sabe com leitura eu me instrua...
E um dia venha a compor verdadeiramente.

Por hora... Publico desabafos do coração,
Eventualmente reflexões, questionamento;
Vai do momento!

Críticas são bem-vin

Doce, contudo Amargo

 
Tudo começa com a escolha da taça
Cativa os olhares do salão, em massa
Na escolha do gelo, resolve na raça
Fita atentamente, dissecando sua praça

Pega um siciliano, o tahiti ele evita.
Tiro um belo "peel" ou amarro com fita?
Balbucia ao verificar os licores, enquanto ela o fita
Transita entre mil receitas, com a mente aflita

Amassa o abacaxi e adiciona a calda atentamente
Quando se dá conta, está produzindo uma receita diferente
A cliente até pergunta, sendo exigente
Metralha então mapas de harmonização, intermitentemente

Polivalentemente, fita tudo e todos no salão outra vez
Memoriza detalhes, antecipa o barback, pra que haja fluidez
Pára no meio do shake, pensa, torna a bater outra vez
Coa, orna graciosamente e desabafa: Terei esquecido da vodca, talvez? Que insensatez!

(Fazendo farra com trivialidades da rotina do A&B)
 
Doce, contudo Amargo

Sanguinolência Poética

 
A cada dia que passa fica mais evidente
que eu não pertenço a este universo.
Vocês dizem que sentem,
mas eu percebo o inverso.

Resumo toneladas de reflexões
Ao mais singelo verso.
A vida joga suas distrações,
O mundo tá mais que perverso!

A Fênix persevera mais uma vez,
Das cinzas eu me levantei;
Pronto pra destronar mais um rei
Que se baseie em insensatez.

Permeio o físico e o plano astral,
Longe de mim desejar-te qualquer mal.
Mas já que tamo nessa onda transcendental,
Saia da frente, que quem tá passando é o tal!

O tal do sonhador
O tal do compositor
O tal do trovador
O tal que exterioriza com furor

Minha fé é fantasmal,
Voa longe no horizonte.
Busquei em ti tudo de bom,
Fui parar não sei nem onde!

Mas tá beleza,
Não tem problema.
Minha alma permanece
Completamente serena.

Meu cosmo queima,
Meu chi se recarrega.
Re-alinho meus chacras,
Enquanto tu reverberas.

O nirvana eu persigo.
Busco iluminação,
Com tamanha determinação,
Que pro resto já nem ligo!

Uma nova era se inicia,
Outra esmaece.
Meu sonhos ainda vivem,
Minha mente se esclarece.

Enquanto meu peito pulsar
Serei o mais bravo cavaleiro.
Valhala ainda pode esperar,
Pois ainda tenho peito.

Que o céu caia sobre nossas cabeças,
Meu elmo tá cheio de espinhos.
Minhas armas são etéreas, fonéticas,
Não se adequam a qualquer métrica.

Não entenda minha retirada
Como ato de covardia.
Minha soberania é mais que aguardada,
Então prepara-te pra tocar a sinfonia!

Corro no fio da navalha,
Ansioso por um amor que me valha.
Digladio mais que Leônidas de esparta,
Enquanto vocês aí sucumbem ao cio.

Pra mim isso é tudo instintivo,
Meu palpitar determina o ritmo.
Sem alusão nem ilusão,
Fique bem, lanço-te o desafio.

Vão dizer que enlouqueci,
Que é megalomania...
Mas nunca vestiram minha pele,
Por sequer um só dia!

Podem me detestar,
Eu não vim pra agradar.
Inclusive fique esperto...
Pra eu não te defrenestrar!

Freestyleira brava
 
Sanguinolência Poética

Sábias Palavras

 
Sábias palavras
Soubestes citar
Como um milharal lávras
Sempre a decapitar

Se jogastes às trevas
A quem lhe quis amar
Sem nem perdoar
Pergunto-lhe então:

O que seria da vida
Sem ter a intenção
De amar de verdade?

Fostes minha emoção,
Reciprocidade;
Senti no coração.

Sem autocastração poética.
 
Sábias Palavras

Despretencioso Coração

 
Despretenciosamente
Venho a rimar
Sobre esta menina
Que eu não soube amar

Se fui um delinqüente
Deves perdoar
(Pois) se foste minha apnéia
Eu não soube inspirar

Conformar-me-ei então
Com minha não melodia
Mas quem sabe, um dia

Eu domine a métrica
E supere esta paixão elétrica
Que me calienta o coração.

Primeira tentativa de compor um soneto "moderno"
 
Despretencioso Coração

Bittersweet Maiden

 
The aurora that once shone,
by the brume, dimmed has been.
As a knight I would serve the throne,
alacritous as never seen.

What once made me throb,
mesmerized by the glance.
Vanished into the mob,
following its own trance.

Astonished I've remained.
Bleeding I staggered, maimed.
I've even fallen into the abyss,
but In the bottom I've found my own bliss.

I've collected every single piece
so I can fix it and attach it back.
For my chest heartless shan't be,
it doesn't matter if it has its cracks!
 
Bittersweet Maiden

Lightning Bolt

 
Like a thunder she would strike my soul,
There was no way I could avoid such a blow.
She would call me and doubtlessly I'd go,
But suddently, I simply don't want it any more.

For my heart aches, and she doesn't care.
I wonder if is it even fair for me to spare
All my feelings, into a single maiden;
Whom devours me and then sends me back to the den.

Life sure has it's weirdness on the long run.
I want a fair company to share my own singularities.
Nowadays it became such a rarity...
In a land where vanity and ego rules souls.

I sharpen my thoughts, prepare my body,
And I shall endure the stabs until the end.
For she does't reply to my love,
In any way I could possibly understand!
 
Lightning Bolt

Digladiar é Preciso

 
Chove lá fora,
Aqui dentro penumbra.
A bruma perpetua,
Mas acesa permanece a vela.

Esperançosa e singela,
Linda e brilhante;
É ela;
Cujo amor reverbera.

Estremecem-te os roucos timbres,
Esmaecem as cores, livres;
Degradês de cinza perpetuam
Aonde a luz da lua atua.

No front, corpos nus,
Uns sobre os outros,
Formam uma pilha alta
Capaz de cruzar as nuvens.

Seria uma oferenda divina?
Alma selvagem
Incapaz de ser contida?
Fortuna despercebida?

Quando chegar a hora
E o relógio tocar
Já terei ido embora
E regressado a marchar.

Aqui os tolos se eriçam,
Voltando a questionar:
Qual seria o motivo
De tal composição exteriorizar?

Motivado pela flama
Que afaga e acolhe
Os sonhos dos que não dormem
E tampouco vem a castrar-se.

Minha mente sustenta o alicerce
De tudo que perene cresce
E que por ventura floresce
Mas que nem o tempo esquece!

Pois se a mente adormece,
O pandemônio se inicia.
Quinze caminhos a seguir,
Qual será sua trilha?

Observo os astros,
As nuvens tapam-me a visão.
Se queria uma pista
Permaneço à escuridão.

Seguro-me à lamparina.
Alimento-a com alma.
Mesmo que me custe a vida,
Me nego a crer que seja cara!

Mentes livres não podem ser acorrentadas,
Seguem firmes, em suas próprias estradas.
Dizem que não existem, mas torno a insistir
Que dia a dia, elas são re-criadas!

"A guerra só termina depois que o último soldado sobra"
Já diria um trovador, cuja renoma é deslumbrante.
Por isso brando minha arma
E sigo marchando pro front!

Ensejante pela vitória,
Celebrarei sozinho.
Será aquela esbórnia,
Sem perder valor ou glória!

O agora dura horas, meses...
O amanhã demoram anos.
Perdido entre os ritos,
Adio meus futuros planos.

Se a derrota é iminente,
Que me aguardem as valquírias.
O ragnarök não me assusta,
Pois meu elmo tem cornos largos
E minha alma, várias insígnias!

Nota do autor:

(O ragnarök é o conflito final entre os deuses, na mitologia nórdica, onde o Edda descreve como "o céu caindo sobre nossas cabeças")
 
Digladiar é Preciso

Amorifique-se

 
O amor me vislumbra,
O amor me perplexa,
O amor me intriga,
O amor me sana,
O amor me domina,
O amor me liberta,
O amor me cura,
O amor me mata,
O amor me protege,
O amor me salva,
O amor me sensibiliza,
O amor me estonteia,
O amor me mesmeriza,
O amor me encanta,
O amor me enfeitiça,
O amor me alucina,
O amor me balança,
O amor me estabiliza,
O amor me ensina,
O amor me confunde,
O amor me esclarece,
O amor me ofusca,
O amor me esmaece,
O amor me ilumina,
O amor me entristece,
O amor me inebria,
O amor me extasia,
O amor me detém,
O amor me eleva,
O amor me aliena,
O amor me transcende,
O amor me assusta,
O amor me delira,
O amor me assombra,
O amor me desola,
O amor me nutre,
O amor me fortalece,
O amor me derruba,
O amor me sustenta,
O amor me contagia,
O amor me envenena,
O amor me endoida,
O amor me amansa,
O amor me acalenta,
O amor me seduz,
O amor me ofega,
O amor me palpita,
O amor me cativa,
O amor me atiça,
O amor me entrega,
O amor me eriça,
O amor me desperta,
O amor me inunda,
O amor me enrijece,
O amor me amacia,
O amor me transborda,
O amor me anestesia,
O amor me regozija,
O amor me engrandece,
O amor me enaltece,
O amor me alavanca,
O amor me frustra,
O amor me potencializa,
O amor me dopa,
O amor me entorpece,
O amor me revigora,
O amor me propicia,
O amor me encabula,
O amor me extroverte,
O amor me oprime,
O amor me oblitera,
O amor me recompensa,
O amor me transforma,
O amor me impulsiona,
O amor muito me inspira,
O amor se supera;
O amor acontece
Quando menos se espera!

Ó o amor...
 
Amorifique-se

Profecias Poéticas

 
É tão bom quando você cai em si e concebe a insignificância dos fatos mediante a majestosidade do universo...

Mente nefasta, afasta-me do perverso!

Nem tudo tem que fazer nexo, neste plexo desconexo onde a embriaguez é o sucesso,
Aonde a alma não tem vez, reino sintético.

Maquiavelias mil, em prol do patético.
Sou estriado cardíaco, não esquelético;
Por isto deixo evidente, meu parecer poético!

Sigo são, casto e ético; Pelo vale das trevas, hermético.
 
Profecias Poéticas

Te Falta

 
Te falta sensibilidade no olhar,
Te falta paladar pra degustar
Deste amor que eu tentei te dar.

Te falta te esforçar,
Te falta te encontrar,
Te falta respeitar
(e essa máscara tirar).

Te falta transbordar,
Te falta te encontrar.
Te falta te entregar,
E parar de se enganar.

Te falta um mundo inteiro,
Te falta uma emoção.
Te falta um amor verdadeiro,
Repleto de razão.

Te falta parar de dilacerar meu coração,
Que em prantos rendeu-se aos encantos
De uma paixão.

Te falta acordar deste sonho,
E parar de dizer que não!
 
Te Falta

Terra Assolada

 
Liberta-te das correntes,
leve só o que for pertinente.
Pois quando o pulsar do peito
estiver completamente ausente,
percebemos que nem tudo é ouro
só por ser reluzente.

Levo minhas mãos à face,
poupo-me do meu disfarce.
Ajudo-te a não sentir-se um traste:
Segura-te à minha haste
pois sou forte como um guindaste;
Nossa amizade não há o que afaste.

Defenestro todos meus medos
Me dispo de meus preceitos
Venero na real, vossos ensejos.
Perseveraremos pelas tempestades, prevejo.

Nosso navio é fantasma, nossa existência é etérea.
Quem nos observa pasma, nossa jornada é eterna.

(profecias poéticas de um trovador louco)
 
Terra Assolada

-Gabriel Bueno Moacyr