https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de Creep

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Creep

Pensamento 08

 
As pessoas são lixo que não se recicla, escória do planeta... talvez você ache isso muito radical mas nenhuma pessoa nos dias de hoje é completamente normal, são burras, preguiçosas e iludidas.
Detesto pessoas, elas não entendem o óbvio e tem algo nos olhos e ouvidos que as impede de evoluir por mais que toda a verdade do universo se expusesse como as mais vulgares prostitutas.
Estar no mundo é o pior dos castigos espirituais que qualquer ser fora da matrix pode sofrer, assiste se as imbecilidades sem nada a dizer porque quando se tenta dizer é atacado por zumbis.
No mundo se aplaudem as mediocridades, as facilidades e aqueles que só dizem o que se quer ouvir, ama se as falsas promessas e até se morre e mata por isso.
Esta terra está em queda como o Império Romano e tantos outros, falsos moralistas, "lacradores" levantando bandeiras de grupos que reivindicam seu próprio cú um país.
Pessoas guerreiam por lixo poemas, pelo direito de ser uma aberração qualquer que nunca poderá evoluir, e defendem a teoria da evolução e o direito de ser mentalmente incapaz mesmo tendo nascido mentalmente capaz.
O ser humano, que nos dias atuais tenta ser o que se chama pessoa é só resto de subnitrato do pó de merda das estrelas.
 
Pensamento 08

Carta 01

 
Rio de Janeiro – RJ, 10 de Junho de 2018

À quem se interesse em ler

Misantropia para suportar esses tempos insuportáveis, os médicos suspeitam de fobia social ou psicopatia, mas eu vejo como algo natural não conseguir conviver com pessoas vazias e superficiais, não ter desejo de suportar o tempo da urgência social, de não querer correr mais rápido e desengonçadamente possível para um profundo abismo.
Eu já tentei encontrar esse prazer que consome o mundo, e estive com Hades, Baco, Eros, já desci ao mais profundo submundo.
Olho o mundo como se estivesse de fora, separada por uma lente que ora me aproxima e ora me afasta, essa lente me mostra com muita facilidade a mediocridade das intenções que povoam as mentes rasas de seus habitantes.
Não sou desse tempo e lugar, de que me serve essa condição? Eu deveria repassar a alguém essa capacidade inútil ou tentar fazer me compreender? Encontro me no mundo sem alguma finalidade real para exercer, as pessoas passam por mim com suas prioridades inúteis e eu as vezes acho admirável manter-se neste estado mental de sono profundo.
Pessoas consomem-se e se entreterem com obstáculos mentais, sobrenaturais, invejas, competições, ansiedades, e satisfação de suas necessidades básicas fundamentais, elas giram num círculo que se alterna até o fim das vidas, pensamentos repetitivos e os mesmos assuntos ora por ausência e ora por seus excessos num ciclo quase infinto de demência se não fosse interrompido pela morte.
Não tenho ódio, meus sentimentos alternam irritação e apatia, irritação por nunca encontrar patrícios numa terra desconhecida e apatia por me conformar com todo esse circo que passa por mim, sobre meus sentimentos, eu também já gostei de alguém uma vez, alguém muito parecido, mas acho que faltou expressar sentimentos ou ter a certeza que realmente esses sentimentos existiram, e passou.
A vida não é assim tão ruim as vezes, eu gosto de refletir sobre os comportamentos, e ajudar as vezes como puder, tenho interesses que me ajuda a passar o tempo e um trabalho que me ajuda a manter meus estudos, não é um relato pessimista, nem um pedido de socorro, não há depressão, tudo na vida a gente se habitua mesmo que não possa compreender.
 
Carta 01

Pensamento 03

 
Chego nua ao espelho do meu passado com mil fios cortados
Resta um nó que não sei desfazer, ele era tão bonito quanto um laço...
De toda semana da vida metade de um dia passei ao seu lado.
De toda minha história já vivi três dias e me aproximo do quarto
Agora há uma sensação de enfastio das próprias memórias
Lembranças inúteis de gozo e desgraça das minhas histórias
Foi você só metade de um dia entre os sete que a vida nos dá
Foram três dias pra desperdiçar o tempo, agora só preciso descansar
 
Pensamento 03

Pensamento 02

 
Gira a existência com cinco movimentos
Roda que a todos faz meros mutantes
Seres nômades e na vida errantes
Náufragos dos próprios sentimentos

Há quem tente se sobrepor ao tempo
Fingindo não ver todas as estações
E na companhia de belas canções
Feche janelas e prefira pinturas

Difícil a estação das amarguras
Mais fácil por o relógio ao contrário
No doce beijo parar o horário
E na boca da vida por ataduras

Maldita roda mais forte que tudo
Levou consigo as noites de verão
Não pude parar as misérias do mundo
E não pude entender sua intenção
 
Pensamento 02

Carta 03

 
Meu amigo, saudações do Rio de Janeiro, aqui faz frio essa época do ano e a reclusão me faz viajar nos meus pensamentos. Penso o quanto o destino tem me estreitado os caminhos, me sinto presa a más escolhas da juventude e sobrevivendo as consequências, nenhuma grande recordação, nenhum sonho belo... não é uma vida com muitas aventuras.
Passo a tarde no meu quarto escuro, as vezes na companhia de um vinho doce ou um chocolate quente, parei de tomar café me sentia muito insone... fico pensando que deveria estar sendo amada, meu corpo está no auge de sua beleza e só eu o admiro no espelho, penso que deveria estar em um lugar com uma paisagem diferente dessa de cimento que há na minha janela, me sentiria bem em um lugar cercado de verde, lugar alto de montanhas dentro de paredes rústicas com uma lareira quente e cobertores e tapetes macios e um amor.
Era isso que eu queria nesse inverno e não essa vida tão comum, mas não é tão fácil assim encontrar um amor, penso que o resto dessa vontade é fácil de satisfazer porque uma montanha não se esconde tão fácil e cobertores são tão acessíveis, e o tempo se faz parar quando se quer.
Meu amigo por que eu não facilito minha vida? São muitos como uma fila que desejam ser amantes, aflitos para para fingir amor com todo prazer que se tem, por que tenho esse desdém por coisas fáceis? Todos se contentam com falsidades por que prefiro não viver prefiro isolar me a não ter um amor verdadeiro?
Está frio e eu preciso de braços de verdade me envolvendo está noite mesmo que seja só um sonho que pela manhã se esquece, esta noite vou sonhar com alguém distante, e quem sabe nos veremos sempre assim com um pouco de sorte, a verdade talvez seja que nem todos podem viver a realidade de amar.
 
Carta 03

Tanto faz

 
A impressão de que não se é interessante o suficiente, importante para ser relevante sempre acompanhando a mente.
Ah aquela sensação de estar por estar ou tanto faz estar ausente, e ninguém vai notar....
Sigo esvaindo forças em vão tudo para viver uma vida fadada a chegar ao fim rápido e tanto faz, independente de tudo que se tenha sido já é certo o esquecimento da essência, da natureza de quem fui e ninguém vai notar.
Minhas emoções estão condenadas pelo tempo que justifica esse sepultamento pela falta de utilidade, jaz em bom lugar tudo de bom e de ruim que se faz seja mil anos ou um segundo atrás, tanto faz já virou passado e ninguém vai notar
 
Tanto faz

E agora José?

 
José cadê os outros do nosso tempo... cadê o outro zé e as portuguesas barraqueiras que não nos atura e as fuzacas de literatura
Cadê a cultura?
E agora José?
Cadê nosso amigo padre que partiu...que namorou com a wicca?
Cadê o som da cuíca do nosso Brasil na poesia e em Portugal nas trovas nas brigas

E as poesias do aquazulis...

A luz apagou e o verso sumiu
Cadê os donos do português apontando as gralhas do pobre linguajar varonil?

José o povo não veio e a poesia murchou
Tenta!
Embora saibamos que tudo passou
 
E agora José?

Tolo

 
Ele partiu sem dizer adeus com a certeza de nunca voltar e hoje busca entre folhas secas um caminho para seu antigo Hades, é que a monotonia mata aos poucos nesse céu criado por mãos humanas e idealizado longe de coisas tão mundanas como a presença daquela mulher ladina.
Com arrependimento agora chafurda na lama procurando o antigo prazer ofertado sem nenhuma cobrança, tolo... agora açoitado pelos pensamentos, esfaqueado por expectativas vans, sangra frases mal rimadas ainda com alguma esperança de reviver lembranças.
Há um maldito espelho no quarto que mostra um tempo acabando, e uma ampulheta no rosto, e uma voz que atormenta ela diz que remédios não ajudam, tecnologias não distraem, que aquele carro não lhe dá mais nenhum poder, e a onipresença mais nenhuma vantagem diante da morte de sentimentos e momentos que não irão mais voltar.
Aquela esfinge transtornada quem ele busca que era como pintura com simetrias perfeitas, com um sorriso misterioso, foi escondida num antigo porão atrás de outros costumes abandonados, aquela que ele busca desbota atrás das paredes mofadas que destroem aos poucos sua beleza.
 
Tolo

Pensamento 06

 
As melhores pessoas são as piores
Que as vezes tendem ao baixo calão
São esquisitas e fora do padrão
Não se prendem aos pormenores

Todos os tolos buscam a aceitação
Eles caçam bruxas e bananadas
Fazem justiça como as manadas
Vociferam ideologias e perfeição

As boas pessoas se comportam
Respeitam as leis são bons cidadãos
 
Pensamento 06

Vida escrota

 
Estou seguindo pela a vida
E continuando sem você
Infelizmente não há muito
O que eu posso fazer

Tudo é sem sal e sem cor
O céu sempre é cinza
Não tenho muito amor
Já não há mais nenhuma tinta

As pessoas são estranhas e banais
Preocupadas com seus orifícios anais
Seguem cheirando suas próprias bostas
Eu sigo meu caminho de costas

Pra tudo isso e tanto faz
 
Vida escrota

Pensamento 01

 
Essa vida tem um senso de humor duvidável
Um caminho tão banal e cheio de repetições
Sempre traz um vaso falsificado admirável
E eu nunca sei onde e como fazer devoluções

Ontem fui ao mar e ele me trouxe mais uma garrafa
Outra com uma folha amarelada pelo tempo
Vi um oceano inteiro em silêncio sem palavras
E eu senti como nunca a força do frio no vento

Não tenho mais velhos fantoches para brincar
Sem meus trajes e fantasias psicodélicas
Passei a ouvir pessoas, grilos e as centopeias
E ver para onde todos tendem a caminhar

Nunca estive tão só com meus pensamentos
Nunca vi tão de perto a corrida em círculos
Uma era inteira passará em momentos
E cidades inteiras se convergem em hospícios
 
Pensamento 01

Carta 02

 
Meu caro amigo(a)

Tenho de fato muitas dúvidas sobre o amor, o que parece contaminar o mundo e as mentes, não me parece nada bom, é mais uma carência viciada, emocionalismos demasiados e sensualidade depravada (ou santa) e a pretensão de se possuir alguém e na visão mais “altruísta” deixar se possuir ou ser contemplado, enfim, de qualquer forma isso que as palavras hoje definem como o sentimento amor se tomasse forma de um animal qualquer se pareceria com um porco adornado com uma imensa argola de ouro no nariz.

Tenho dúvidas sobre o que hoje se entende como a palavra amor, tão mal usada quanto uma meretriz, reflete uma falta de paz de quem o tem, o inconformismo, veneração doente, mágoas e ressentimentos mesquinhos que enrolam as línguas de seus afetados numa fala esquizofrênica que não se compreende mais, mas que se fala em qualquer esquina.

Tenho dúvidas sobre como o amor deveria realmente parecer, se esse amor não for nada parecido com seu retrato falado, deve passar por todos despercebidamente sem nenhuma possibilidade de o reconhecer. Penso as vezes que o amor um dia foi uma taça frágil partida em mil pedaços e tenho a impressão de vê-lo aos cacos na mão de poucos, fragmentos em poesias, músicas, ações sem nunca distinguir como é sua “face”, outras vezes o amor parece evaporar e reaparecer de um outro lado como uma miragem.

Tenho dúvidas se amei um dia, porque o posto em prática foi o que me foi apresentado pela vida, uma versão doente conflitante que permeia os muros do mundo com o medo constante e a reafirmação de que há algo a ser preenchido, cultivado e praticado, gostava mais que não fosse um sentimento, queria que fosse como a respiração talvez, mas não o fiz assim, achava que devia ser um algo que trouxesse homeostase ao meu organismo e tão importante que eu simplesmente esquecesse que está ali.

Tenho dúvidas quando alguém me afirma que já amou com seus alardes, quase tudo que se vê é uma fantasia tão demente, ares de uma religiosidade autoindulgente pronta a demonizar quem duvidou ou invejou seu tesouro sagrado, penso as vezes que estou entre muitos zumbis que nunca se contestarão, todos certos das absolutas certezas que sempre impulsiona as massas, desta vez a de que se nunca amaram um dia amarão seja lá o que amar signifique.
 
Carta 02

Antialienação

 
Minha alma perambula as vielas do meu ser, ela cata as guimbas de esperanças ela trás nas mãos uma garrafa de sonhos fermentados.
A garganta leva um nó e o estômago amarga o desgosto que queima as vísceras das lembranças
O corpo todo é um desconjunto, os pés arrastam correntes muitíssimos pesadas de dias, horas e minutos estagnados
Meu espírito clama o fim deste despropositado tempo que tece suas teias em torno dos meus olhos
Tudo é enfado, tudo é pequeno, igual e medíocre, na calçada da vida me deito e passo meus dias vendo tudo passar tão rápido e repetido como um frenesi de futilidades
Não sei como vim para este lugar e pra que serve estar aqui tentando não alienar
 
Antialienação

Pensamento 04

 
Só mais uma árvore
Folhas novas surgem
A orna flores e frutos
Ou folhas secas caem

Mais um dia qualquer
Madrugada e orvalho
Manhã de calor
O ocaso e a noite

Uma vida banal
Ninguém notou
Suas dores e glórias
Enfim expirou
 
Pensamento 04

Pensamento 07

 
Sinto falta de todas as mentiras
Na fase de desintoxicação
Sem café sem você
Sintomas fracos
De devastação
 
Pensamento 07

Sonho antigo

 
Naquele dia fatídico em que caiu o véu pudemos ver o que estava somente no plano de uma outra dimensão.
Naquele dia todos cavaram no chão querendo cobrir seu corpo frágil daquele imenso Dragão.

O céu não era mais o mesmo agora só tinha nuances roxas e laranjas na sustentação do firmamento, gemidos de medo e dor reflexo de uma sensação profunda misto de arrependimento e falta de amor

Não era possível compreender o espaço em torno de si mesmo nem comandar os passos firmes numa direção, tudo estava alterado nada estava como um segundo atrás desde a gravidade aos pontos cardeais

Havia um enorme buraco no chão de onde saia um som que tremia toda a terra levantando-a com vapores que consumiam tudo onde passavam como o pior ácido de corrosão, mas apesar de tudo fazia muito frio tanto que congelou todos os rios.

Fico feliz pois aquele fatídico dia medonho não passou de um sonho de 25 anos atrás que ainda não esqueci e acho que não esquecerei jamais.
 
Sonho antigo

Romeus e Julietas

 
Cultivando as dores de um passado vulgar
com saudades de momentos promíscuos
eles seguem…

Tiram as cascas para não cicatrizar
E suas feridas expostas às moscas
criam vermes

São bichos, os frutos daqueles momentos
agora rimados com tanto esmero
e sentimentos

Fazem essências do cheiro de porra
da rachada fedida balsamo suave
e o céu aquela cama de zona

Falam que aquela foda mal fudida
agora, após a impotência
foi a melhor da vida

Putas e Putanos das sarjetas
nos versos sempre são verdadeiros
Romeus e Julietas

Viva a Poesia!
 
Romeus e Julietas

Pensamento 05

 
Queria ir a escola,
escola mesmo
de carteira
de madeira,
quadro verde
escrito a giz.

Queria ir
a uma escola
de poemas
onde eu pudesse
novamente
ser aprendiz.

O professor
com óculos,
e barbudo
barriga em pé
pra sabatinar...

Saber rima,
métrica e estrofes
quem sabe um dia
fazer sonetos.

Ah! Todas as coisas paralelas amo pensar.
Ilusões, sonhos, e as viagens mais lunáticas teriam hora e vez neste lugar...
 
Pensamento 05

Telegrama 1

 
Meu amigo... sinto falta das nossas conversas e da intimidade que tínhamos, não existe ninguém como tu e nem existirá nessa vida, mesmo partindo e sendo ingrato te perdoo pela ausência, sempre que posso tomo uma cerveja em tua homenagem e relembro os momentos de diversão, me deixaste só e foste enganar-te mundo a fora com as mulheres da vida, em outros bares contas tuas mentiras e não me deixas mais ouvir.
Amigo, espero que estejas bem, eu fiquei um tempo perdida sem vontade de viver, agora estou mais leve e menos exigente com as companhias, qualquer um que me escuta serve pra por no teu lugar, terminamos assim afastados e substituíveis... é porque a vida faz assim mesmo, ela nos impulsiona a prosseguir se adaptando as situações ou somos esmagados por sua força. Ainda sinto sua falta só queria dizer isso, que não te esqueci.
 
Telegrama 1

Do outro lado

 
Incrivelmente só vagando entre os becos da vida
Os que resistem enlouquecem aos poucos
Revirando os lixos do passado
Retirando as cascas das feridas

Observando os zumbis pelas paredes de vidro
Fora do mundo irreal onde tudo acontece
Perecemos sem nenhum tipo de abrigo
Sem tocar em nada que entorpece

Eu só gostaria de estar do outro lado
Vamos retornar ao começo de tudo
Antes do cern e do buraco negro
Dormindo como todo mundo
 
 Do outro lado