ALMA DE POETA - Elen de Moraes

Data 12/05/2010 07:44:14 | Tópico: Sonetos

ALMA DE POETA

Elen de Moraes

Deixar, ó Poeta, teus versos amortecidos,
Será como querer viver sem respirar.
Como ao coração dar ordens pra não amar
Ou amputar da tua vida os anos vividos.

Não sejas mais um entre tantos oprimidos,
Que após desilusão só pensa em recuar...
Quem, nesta vida, errou pelo gosto de errar?
Ó Poeta, teu lugar não está entre os vencidos!

Quem tu és e quem serás é mais importante!
Voltar a ser quem foste? Não tem cabimento!
Poeta, ressuscita teus versos neste instante!

Não te deixes levar por rude sentimento...
Além do mais, alma inspirada é sempre errante:
Não tem dono, é livre! Vive ao sabor do vento!



Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=132315