RENASCI VIVO

Data 13/05/2010 21:32:57 | Tópico: Poemas

<img src="http://i43.tinypic.com/29mm05v.jpg" border="0" alt="Image and video hosting by TinyPic"></a>

RENASCI VIVO

Assim me segrego na partição dos dias
Bocejando viveiros na raiz dos choupais
Tropeço nas horas que se tornam esguias,
Remendo um poema, em vielas sombrias
Superando em mim os limites legais.
Paciências me pedem estas grades frias
Onde prendo a raiva que goteja a mais!

Transponho a montanha que se ergue erecta
Expiro os tornados, entranhados nos dentes,
Esboço um momento, rasgo de poeta
Escorrego no tempo, bem antes da meta.
Num bailado de sonhos eu guardo em sementes
Deixando crescer em mim muda e secreta
A voz paulatina das almas descrentes.

Agarro na réstia, da alegria ensaiada
Cravo-a numa hipérbole e faço-a banir
Com destrinça mestria a tristeza encravada,
Roubando-me as noites e a madrugada,
Conquistada ao acaso no meu desistir!
Agora sou agua, sou terra lavrada,
Esperando do nada, voltar a existir.

Agora,
Sou fogo, sou vento,
Sou vinho em fermento
Sou terra, sou chão
Sou lava e vulcão
Sou sonho, utopia
Sou noite e sou dia
Sou sol e sou crivo
Porque me dei à luz,
E renasci...
Vivo.

Regensburg
13-05-2010
Beija-flor



Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=132554