O Algoz Assassino de Sonhos

Data 17/09/2011 14:57:19 | Tópico: Poemas

Em meu peito
existe um coração
que espeta,
como os espinhos
das rosas frescas
colhidas do jardim
da desilusão.

Em minha alma,
há um verso
de Piaf que reverbera:

"Balayés les amours
Et tous leurs tremolos
Balayés pour toujours
Je repars à zero ...".*

E diante disso,
pavorosa quimera
me abraça em pesadelos
no lençol amargo
da solidão.

Sensato e algoz
assassino de sonhos,
vulgar coveiro,
catalepsia,
lágrimas de sangue,
abstinência e vãs
orações proferidas.

Suor noturno,
inferno e céu,
anjos e demônios
sopram culpa
e penitência...
e penitente o poeta
segue dolorido
com o peito
estremecido
em caminhos dantes
já trilhados.

São Gonçalo, 23 de fevereiro de 2011.

(*) trecho de Non Je Ne Regrette Rien, interpretado por Edith Piaf.

Leiam os blogs:

www.romulonarducci.blogspot.com

www.manifestotavernista.blogspot.com


Este texto vem de Luso-Poemas
https://www.luso-poemas.net

Pode visualizá-lo seguindo este link:
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=199368